17 de setembro de 2021

Ceará contraria Ministério da Saúde e mantém vacinação de adolescentes

Adolescentes de 12 e 13 anos fizeram filas no primeiro dia da vacinação contra Covid-19 para este público (Foto: Fabio Lima)

Contrariando recomendação do Ministério da Saúde para suspensão da vacinação de adolescentes sem comorbidades, o Ceará manterá imunização do grupo. O ministro Marcelo Queiroga justificou que não existem evidências conclusivas para a aplicação do imunizante nesse grupo. A Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa) se contrapôs ao ministério e manteve indicação da vacina Pfizer para adolescentes. Para epidemiologistas, postura da pasta nacional enfraquece campanha contra a Covid-19.

Queiroga diz que partiu de Bolsonaro orientação para rever vacina de adolescentes

O presidente Bolsonaro disse que não foi uma "imposição” apenas seu
“sentimento” (Foto: Isac Nóbrega)

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou ontem (16/09) que partiu do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) a orientação para rever a vacinação de adolescentes no País. Mais cedo, a pasta orientou a interrupção da aplicação de doses em pessoas de 12 a 17 anos sem comorbidades, apesar da Anvisa autorizar o imunizante da Pfizer para a faixa etária.

Governadores ignoram Ministério da Saúde e vacinação de adolescente continua

Os governadores Camilo Santana (Ceará) e João Dória (São Paulo) foram os primeiros
a anunciar a manutenção da vacinação dos adolescentes (Foto: Reprodução/Facebook)

A confusão causada pelo Ministério da Saúde, que suspendeu a indicação de imunizar os adolescentes entre 12 e 17 anos sem comorbidades contra a covid-19, colocou o governo federal em rota de colisão com os estados. Alguns governadores anunciaram que ignorarão a decisão e que continuarão a vacinação desse grupo. Além disso, especialistas criticaram a decisão da pasta, salientando que gerou confusão e insegurança.

Ministério da Saúde recomenda suspensão da vacinação contra a covid-19 em adolescentes

 

O ministro Marcelo Queiroga, disse que a decisão de suspender vacinação de adolescentes foi decisão de Bolsonaro (Foto: Walterson Rosa)

O Ministério da Saúde emitiu uma nota informativa ontem (15/09) em que diz que revisou a recomendação de imunização de adolescentes, passando a recomendar a aplicação da vacina contra a covid-19 somente em adolescentes que têm entre 12 e 17 anos e que apresentem deficiência permanente, comorbidade ou que estejam  privados de liberdade. A recomendação, segundo a nota, leva em conta que a Organização Mundial da Saúde (OMS) não recomenda a vacinação de adolescentes, a falta de estudos dos benefícios do imunizante nesse grupo e a baixa taxa de casos graves nessa faixa etária.

16 de setembro de 2021

Com participação do prefeito, diretoria do SINSEMA comemora 30 anos de fundação na Câmara de Altaneira

Presidente do SINSEMA, prefeito e membros da Mesa Diretora da
Câmara Municipal de Altaneira (Foto: Divulgação/CMA)

Parte da Sessão Ordinária da Câmara Municipal de Altaneira, realizada na manhã de ontem (15/09) foi usada pelo presidente do Sindicato dos Servidores Municipais de Altaneira (SINSEMA), professor José Evantuil de Sousa, para uma “retrospectiva das ações e realizações do sindicato”, destacando ainda a participação dos vereadores Claudovino Soares (PT) e Ariovaldo Soares (PDT) como ex-presidentes da entidade.

15 de setembro de 2021

Governador do Ceará se comprometeu repassar 60% dos recursos do precatório do Fundef aos professores

Camilo Santana, Izolda Cela, Eliane estrela em reunião com dirigentes sindicais (Foto: Divulgação/APEOC)

“Um dia histórico na luta pelos Precatórios do FUNDEF do Ceará e de todo o país”, com esta frase o professor Anizio Melo presidente do Sindicato dos Servidores Públicos lotados nas Secretarias de Educação e de Cultura do Estado do Ceará (APEOC) anunciou que em reunião realizada ontem (14/09) o governador Camilo Santana (PT) assumiu o compromisso de ratear 60% do Precatório do FUNDEF da rede estadual com os profissionais do Magistério, mediante acordo judicial.

90 municípios cearenses não registram novos casos de Covid-19 há duas semanas

Quase metade dos municípios cearenses não registraram novas confirmações de Covid-19 no mês de setembro. São 90 municípios sem novos diagnósticos positivos, conforme dados do IntegraSUS, da Secretaria da Saúde do Estado (Sesa), atualizado às 19h de ontem (14/09). Segundo a plataforma de transparência estadual, 30 municípios tiveram apenas um diagnóstico, cada. Outros 11 somaram dois casos no período, e 14 tiveram três confirmações. Com 209 casos Fortaleza registrou a maior quantidade de diagnósticos no período.

Senado e STF impõem nova derrota a Bolsonaro

Em cerimônia no Palácio do Planalto Bolsonaro a defendeu a MP afirmando que “fake news faz parte da nossa vida” (Foto: Alan Santos)

O presidente do Congresso Nacional, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), devolveu, ontem, a Medida Provisória (MP) 1.068, que altera o Marco Civil da Internet e tornava mais rígida a exclusão de perfis nas redes sociais e a remoção de conteúdos publicados na internet. A devolução ao Palácio do Planalto foi solicitada por alguns parlamentares, que argumentam inconstitucionalidade do texto e por, indiretamente, favorecer perfis bolsonaristas que promovem desinformações e disseminam fake news. 

14 de setembro de 2021

PDT trabalha com quatro nomes para a sucessão de Camilo em 2022

O presidente da Assembleia Evandro Leitão, o ex-prefeito de Fortaleza
Roberto Cláudio, 
a vice-governadora Izolda Cela e o deputado Mauro Filho 
estiveram em reunião do Cariri (Foto Reprodução/Facebook)

Primeira rodada de encontros do PDT apresentou quatro nomes do partido para a disputa pela sucessão do governador Camilo Santana (PT) no ano que vem: a vice-governadora Izolda Cela, o secretário Mauro Filho (Planejamento e Gestão), o presidente da Assembleia Legislativa do Ceará (AL-CE) Evandro Leitão e o ex-prefeito de Fortaleza Roberto Cláudio.

Ministro da Saúde culpa estados por falta de vacinas para segunda dose

Segundo ministro Queiroga, não há falta de imunizantes e que a expectativa da população é resultado de "publicidade" dos governadores (Foto: Walterson Rosa)

A segunda aplicação da vacina de Oxford/AstraZeneca contra o coronavírus foi suspensa em diversas cidades no Brasil em razão da falta do imunizante na semana passada. São Paulo, Rio Grande do Norte, Tocantins, Rondônia e Mato Grosso do Sul tiveram que suspender a vacinação da segunda dose em alguns postos. A ausência de doses prejudica a progressão da campanha vacinal e atrasa a imunização da população. 

13 de setembro de 2021

A terceira via nas ruas contra Bolsonaro

O governador João Dória, o ex-governador Ciro Gomes, a senadora Simone Tebet e o
ex-ministro Mandetta discursaram no ato da Paulista (Fotos: Reprodução/Facebook)

Convocados por grupos de centro-direita e direita como o Movimento Brasil Livre (MBL) e o Vem Pra Rua, manifestantes ocuparam ontem (12/09) ruas de 15 capitais em protestos contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Com pauta de impeachment do presidente, os atos ficaram marcados por forte tom "nem Lula, nem Bolsonaro", com presença de diversos candidatos da chamada "terceira via", que tentam se viabilizar fora da polarização entre petistas e bolsonaristas.

Baixa adesão e pluralidade política marcam protestos contra Bolsonaro

Vista parcial da Avenida Paulista em São Paulo (Foto: Fernando Sigma)

O domingo (12/09) foi marcado pelas manifestações contra o presidente Jair Bolsonaro, convocadas em 15 capitais. Os protestos, organizados pelo Movimento Brasil Livre (MBL) e pelo Vem Pra Rua (VPR), a princípio, mantinham o slogan “Nem Bolsonaro, nem Lula” e tinham apoio apenas de partidos liberais, que buscam pela terceira via para as eleições de 2022. Após os atos pró-Bolsonaro no feriado da Independência, os grupos resolveram convidar a esquerda para unir forças pelo impeachment do presidente. Lideranças do PCdoB, PDT e PSB participaram dos atos.

12 de setembro de 2021

Um presidente isolado por Henrique Araújo

Para especialista a agenda bolsonarista teve adesão limitada aos setores mais radicalizados de sua militância (Foto: Marcos Corrêa)

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) termina a semana com saldo inferior ao que pretendia obter com as manifestações do 7 de setembro, apontam especialistas ouvidos pelo O POVO.