18 de fevereiro de 2018

Temer anuncia criação do Ministério da Segurança

Crivella e Pezão recepcionaram o presidente Temer no Rio (Foto: Alan Santos)
O presidente Michel Temer anunciou ontem (17/02) no Rio, a criação do Ministério Extraordinário da Segurança Pública. O anúncio é mais uma medida no contexto da guerra ao tráfico de drogas. Para a criação da pasta, o Ministério da Justiça será desmembrado. Temer não respondeu perguntas da imprensa e não falou quem assumiria a nova pasta. “Nós não vamos parar por aí. Muito brevemente, na próxima semana ou na outra no mais tardar, eu quero criar o Ministério Extraordinário da Segurança Pública, que vai coordenar a segurança pública em todo o País, evidentemente sem invadir as competências de cada estado federado”, disse o presidente. A nova pasta será desmembrada do Ministério da Justiça e oficializada por meio de um texto que já está na Casa Civil.

Previdência não será única PEC parada durante intervenção no Rio

A intervenção federal no Rio de Janeiro, decretada na última sexta-feira (16/02) pelo presidente Michel Temer devido ao “grave comprometimento da ordem pública”, ainda precisa ser apreciada pela Câmara dos Deputados e pelo Senado nos próximos dias para que não seja revogada. 

Se o decreto for aprovado, propostas de emenda à Constituição (PECs) não podem mais ser discutidas, nem votadas pelos parlamentares até o fim do ano, quando termina a vigência da intervenção. As PECs que tramitam no Congresso Nacional tratam de diversos temas, inclusive segurança pública.

17 de fevereiro de 2018

PT se articula para manter apoio no Nordeste

A preocupação do PT é que caciques do MDB cancelem alianças (Foto: Ricardo Stuckert) 
O Partido dos Trabalhadores tem intensificado articulação pelos estados do Nordeste, a fim de evitar debandada de aliados, caso o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva não possa ser candidato ao Planalto. No centro das atenções, estão os emedebistas. Um dos caciques do MDB que Lula já procurou foi o presidente do Senado, o cearense Eunício Oliveira. Eunício e Lula têm encontro marcado para o início de março.

O título é da Beija-Flor, mas a glória é da Tuiuti por Pai Rodney

Há muito tempo a cidade do Rio de Janeiro não se via em tal situação. A prefeitura cortou metade da verba das escolas de samba, não permitiu a utilização do sambódromo para os ensaios técnicos, forneceu uma organização pífia e os dirigentes e carnavalescos tiveram que se virar.

Também queriam confinar os blocos de rua, restringir acessos e acabar com a farra. Os inimigos do povo, do carnaval e da alegria estavam à solta.

16 de fevereiro de 2018

Mais um ex-prefeito de Altaneira se manifesta favorável ao rateio dos recursos do Precatório do Fundef

O ex-prefeito Antonio Dorival de Oliveira anunciou que também é favorável ao rateio dos recursos do Precatório do Fundef com os profissionais do Magistério.

A informação foi publicada no Blog do Vereador Professor Adeilton na manhã de ontem (15/02). O ex-prefeito disse que foi procurado por vários professores e afirmou que estando a frente do município não seria necessário que os professores buscassem a Justiça  para que tivessem seus direitos garantidos.

"Novo não vinga e vamos nós com o velho mesmo" por Érico Firmo

Pela segunda vez em três meses, Luciano Huck desistiu de ser candidato a presidente. Com isso, cai por terra a grande aposta para o “novo” na próxima eleição. Há outras, nenhuma propriamente empolgante. Mais algumas devem surgir. É cada vez mais improvável que vinguem.
  
O meio político procura novidade não porque haja perfil em voga por aí. Faz isso porque sabe que o eleitor está cansado de “tudo isso que está aí”. Não há propriamente novos grupos ou ideias surgindo. Há os velhos e carcomidos nomes em busca de gente mais jovem para representar as mesmas personagens de sempre. Huck, por exemplo, tomou a bênção de Fernando Henrique Cardoso (PSDB). Pode-se gostar ou não de FHC, mas não dá para chamá-lo de novidade.

Huck esbarrou no ótimo emprego que tem na Globo e do qual teria de abrir mão. Além disso, deparou-se com os problemas para se firmar candidato e com os obstáculos a enfrentar numa campanha. Já descobriram que ele comprou jatinho com empréstimo a juros subsidiados pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Sabe ele lá o que mais poderiam escavacar.

Há várias tentativas de novidade, e outras tantas que tentam passar como se fossem. Do Judiciário, aparece Joaquim Barbosa, ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) que realmente parece disposto a concorrer. E há Sergio Moro, cotado que sempre nega intenção de disputar. Dos movimentos sociais surge o nome de Guilherme Boulos, que negocia com o Psol - partido que nunca embarca nessa conversa de “novo” na política. Do meio financeiro - e, digamos, de palestras - há João Amoêdo, do Partido Novo.

Huck seria nome realmente estranho à política. É amigo de políticos, circula com eles nos meios sociais, faz campanha. Mas, até hoje parou aí. Amoêdo também, embora já esteja quase ficando velho na tentativa de se apresentar como novidade.

Moro e Barbosa não são do meio partidário, ainda, mas são protagonistas da política na última década. Boulos atua politicamente há muito tempo, mas não na arena institucional. No fim das contas, é capaz de nenhum deles concorrer.

As outras possibilidades de “novo” tentam, na verdade, esconder a idade política. Henrique Meirelles disputou só uma eleição, de deputado federal pelo PSDB, em 2002. Mas, teve de fazer muita política nos oito anos como presidente do Banco Central de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e nos quase dois anos como ministro da Fazenda de Michel Temer (MDB).
João Doria (PSDB) participou da última campanha para prefeito de São Paulo. Antes, foi secretário de Mário Covas na Prefeitura de São Paulo e presidente da Embratur quando José Sarney (MDB) ocupava o Palácio do Planalto. Vão lá mais de mais de 30 anos. Fernando Haddad (PT) disputou duas eleições para prefeito. Antes, ocupou cargos na gestão de Marta Suplicy na prefeitura paulistana e nas gestões de Lula e Dilma Rousseff (PT).

O mais que há por aí nem cara tem de se passar por novo.

Lula, líder de todas as pesquisas, obviamente não é novo. Disputou sete eleições, cinco delas a presidente. Jair Bolsonaro (PSC-RJ) até tenta passar como algo de diferente, como alguém que não se encaixa na política que se faz. Pois saiba que ele disputou ainda mais eleições que Lula: oito.

Rodrigo Maia (DEM-RJ), presidente da Câmara dos Deputados, tenta se colocar como político da nova geração. Já disputou seis campanhas. Jaques Wagner é hoje o mais cotado substituto de Lula dentro do PT. Ele já concorreu sete vezes, além da penca de cargos que ocupou, em diversos níveis.

Geraldo Alckmin (PSDB), esse é que é veterano mesmo. Disputou 12 eleições. Fernando Collor de Mello concorreu oito vezes, e isso porque passou oito anos com direitos políticos cassados, sem poder se candidatar. Ciro Gomes (PDT) tenta há 20 anos romper a dicotomia PSDB/PT. Concorreu em sete eleições. Mesmo número de vezes que Marina Silva (Rede) foi candidata. E há Álvaro Dias (Podemos), de todos eles quem há mais tempo disputa eleição. A primeira de duas dez campanhas foi em 1968.

O novo não vingou e não parece que vingará. O velho não empolga, mas, por exclusão, parece que é o que restará.


Publicado originalmente no portal O Povo Online

15 de fevereiro de 2018

O que pode vir de mentirosos e dissimuladores? por Fernando Brito

Doria jura fidelidade a Geraldo Alckmin e vai de jatinho (via BNDES) com Rodrigo Maia encontrar ACM Neto para discutir a possibilidade de ser candidato pelo DEM.

Prefeito de Altaneira quer suplementação de mais de 3,4 milhões no Orçamento

Com apenas 44 dias do exercício financeiro de 2018 o prefeito de Altaneira, Dariomar Rodrigues, apresentou ontem (14/02) Projeto de Lei na Câmara Municipal solicitando abertura de crédito suplementar em percentual equivalente a 20% do orçamento fiscal de 2018.

O Orçamento para o exercício financeiro de 2018 foi estimado em R$ 24.403.317,00 (vinte e quatro milhões, quatrocentos e três mil, trezentos e dezessete reais), com autorização para suplementação no valor de 10% do orçamento fiscal.

Ciro iniciará caravana pelo Cariri em março

Durante a Caravana de Ciro, PDT espera filiar prefeitos, gestores e vereadores (Foto: Francisco Fontenele)
Estacionado com 7% nas pesquisas de intenção de voto, o candidato a presidente pelo PDT, Ciro Gomes, iniciará no próximo mês investida para tomar maior protagonismo na disputa. Com pré-campanha hoje polarizada entre Lula (PT) e Jair Bolsonaro (PSC), o ex-ministro fará caravana pela região do Cariri na busca por se firmar como alternativa, uma “3ª via” no pleito.

Açudes ganham água, mas situação segue crítica

Mais de 100 cidades cearenses registraram precipitações durante o Carnaval. A chuva do início da estação levou aporte a 81 açudes, com um total de 16,4 milhões de m³ de água aos reservatórios. O solo está ficando úmido, facilitando o escoamento; o céu está mais encoberto de nuvens, evitando a evaporação; e o melhor da quadra chuvosa ainda está por vir. O cenário é mais positivo, mas não menos preocupante.

“Todo aporte é importante. Algumas bacias, porém, encontram-se em uma situação mais crítica, como no Centro do Estado e no Sertão do Crateús”, avalia o presidente da Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh), João Lúcio Farias.

14 de fevereiro de 2018

Desprezada pela Globo Paraíso do Tuiuti é vice-campeã do Carnaval carioca

Na ala precendente, os "Manifestoches" (Foto: Divulgação)
A Paraíso do Tuiuti foi vice-campeã do Carnaval do Rio, vencido pela Beija Flor. Os dois enredos foram marcados pelo protesto. Os jurados reconheceram: deram 4 notas 10 ao enredo da Paraíso do Tuiuti. Em fantasias, a escola também tirou nota máxima: foram 4 notas 10.

Axé. Meu coração é Tuiuti por Ailton Lopes

Tuiuti, eu já chorei. E foi de emoção, foi com você.

Eu aprendi a gostar da Beija-Flor logo de pequeno. Gostava do Joãozinho Trinta. Do Neguinho da Beija-Flor, das cores, da plástica da escola, do próprio beija-flor....

Portal da Câmara Municipal de Altaneira mais uma vez em situação irregular

O Tribunal de Contas do Estado do Ceará (TCE) em cumprimento ao disposto na Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) divulgou situação atual dos portais de transparência dos poderes Executivo e Legislativo dos 184 municípios cearenses.