29 de dezembro de 2010

A Família Johnnie Walker

A JOHNNIE WALKER tem uma história de determinação que se estende por três gerações de uma família. Cada geração compartilhou da mesma paixão pela fabricação e destilação do uísque. Johnnie era filho do fazendeiro, Alexander Walker, que morreu em 1819, e o rapaz, então com 15 anos, era muito novo para continuar tocando a fazenda da família.

Com a venda da fazenda, John abriu uma pequena loja em 1820 na cidade de Kilmarnock, localizada no oeste da Escócia, investindo £417 no novo negócio. O pequeno estabelecimento vendia chás, vinhos, bebidas e comidas secas, começando a desenvolver uma clientela de alta reputação. Enquanto isso, o mercado de uísque estava mudando no mundo inteiro. As destilarias, muitas delas ilícitas, começaram a se profissionalizar e Johnnie viu uma grande oportunidade de ingressar nesse ramo de atividade, começando a destilar seu próprio uísque. Utilizando toda sua habilidade, iniciou a produção, vendendo o produto para seus clientes, que logo começaram a exigir um nome para o uísque. Foi neste momento que o uísque ganhou o nome de JOHNNIE WALKER. Em 1857, o filho de John, Alexander, assumiu os negócios da família com a morte de seu pai.

Em 1865 surgiu o percussor do Black Label chamado Walker Old Highland Whisky, mediante a combinação de cerca de 40 dos melhores maltes e uísques de grãos escoceses, envelhecidos por, no mínimo, 12 anos. Em 1867, criou a etiqueta para o uísque, muito parecida com a etiqueta atual do Black Label. Em 1876, conseguiu registrar como marca, o modelo da tradicional garrafa quadrada, introduzida em 1870, e as cores preta e ouro das escritas de seu rótulo. Em 1880, abriu escritório na cidade Londres, por onde exportava seu produto para o resto do mundo. Quando Alexander morreu em 1889, deixou o negócio para seus dois filhos, George e Alexander.

Alexander ficava responsável pela produção dos uísques e George viajava o mundo estabelecendo uma rede de distribuição. Em 1920, podia-se encontrar os uísques Johnnie Walker em 120 países. Nas décadas de 30 e 40, investiu no setor de distribuição para popularizar ainda mais a marca pelo mundo.

Hoje, a empresa possui blends diferentes:
 O primeiro da foto é o Red Label (rótulo vermelho). É um whisky jovem, que compreende 35 maltes. Pode ser tomado puro, ou até em coquetéis, no Cariri é consumido com energético. É conhecido pelos oito anos de envelhecimento.

O segundo é o Black Label, whisky 12 anos. É o mais vendido no mundo em sua categoria. Seu sabor é rico, encorpado e deve ser apreciado lentamente.

O Johnnie Walker Green Label, foi envelhecido durante 15 anos. Suave, leve e com gosto de mel.

Criado em 1.920, em comemoração ao centenário da empresa, o Johnnie Walker Gold Label, é escuro e possui toques de mel, chocolate e baunilha, é o típico 18 Anos.

O top de todos eles, é Johnnie Walker Blue Label, com maltes de 21 anos de envelhecimento. O Blue é um dos whiskys mais famosos e caros do mundo. Seu sabor é a junção de todos os outros, mesclando a turfa, o carvalho, a fumaça, chocolate e frutas cristalizadas.

Na festa da virada de ano escolha um pelo gosto ou pelo bolso.

2 comentários:

  1. Primo já tenho o primeiro, nada contra me dar o segundo. rsrsrsr

    ResponderExcluir
  2. Cara! Johnnie é o melhor! Gosto de receber e dar de presente.

    Waques, eu coleciono. Quer um? :P

    Raimundo.. quando for dar o presente pra ele da um personalizado.. tem varios sites que dá para gravar o nome ou msg.. magina a felicidade do primo!

    O ultimo que enviei de presente foi da www.bullbev.com.br

    abraço

    ResponderExcluir

A Administração do Blog de Altaneira recomenda:
Leia a postagem antes de comentar;
É livre a manifestação do pensamento desde que não abuse ou desvirtuem os objetivos do Blog.