28 de junho de 2010

Nosso Patrimônio Histórico e Cultural está sendo destruído

Mais uma residência antiga foi destruído para construção de prédio comercial - foto Raimundo Soares
Em 27 de maio de 2009 criamos no sítio de relacionamento Orkut um álbum de imagens e postamos um texto na Comunidade "Altaneira - Ceará", denunciando a destruição do nosso patrimônio histórico e cultural, principalmente as fachadas dos pontos comerciais do Mercado Público Municipal, no centro da cidade.

O Mercado Municipal foi construído antes da emancipação política de Altaneira, por comerciantes e agropecuaristas, com o apoio do Governo Municipal de Farias Brito, como todas as fachadas mantendo o padrão definido, cabia, pois, ao Município zelar para que a fachada original fosse preservada.

O nosso álbum não recebeu a devida atenção na época e mais uma casa residencial antiga foi destruída para a construção de um prédio comercial na rua Dep. Furtado Leite, e o pior, os proprietários que são da cidade de Nova Olinda, usaram uma via da cidade como depósito para material de construção.

Um dos poucos comentários que se destacou na época foi do jovem Gutemberg Estevão que escreveu: 
“É amigo, nosso patrimônio Histórico está sendo transformado em modernos e empolgante prédios comerciais. Esse é o preço do Capitalismo Sociológico. E uma das causas de tanto material poluindo o espaço visual da nossa Cidade”.

A atual administração municipal parece conivente com esta situação danosa a nosso patrimônio histórico e cultural.

Já a Câmara Municipal, mesmo com a reforma realizada em sua sede no final da década de 80 manteve grande parte da fachada original. Naquela reforma foram retiradas as duas portas originais, que foram substituídas por um portão no estilo colonial. 


Leia a íntegra de nosso texto publicado no Orkut em 2009:
"Nosso Patrimônio histórico é alvo de destruição. Cuidar do patrimônio histórico do Município não parece ser mesmo compromisso dos órgãos públicos de Altaneira. Nenhuma lei foi criada e qualquer ação, principalmente a conscientização dos proprietários de prédios históricos, foi posta em prática para garantir a preservação desses lugares.Em ritmo acelerado prédios históricos são levados ao chão sem qualquer ação para conter esse tipo de depredação. Será que a recém criada Secretaria de Cultura desenvolverá alguma ação para conter o avanço dessa depredação.
Sem conscientização nenhum trabalho será eficiente. Os proprietários têm que ter o entendimento de que podem fazer uso desses locais, mas desde que a sua estrutura, pelo menos a externa seja aproveitada. Exemplos desse uso consciente não faltam, mas para que isso aconteça só depende deles mesmo, ou de ações extremas da Justiça.
A saída poderia ser criação do Conselho Municipal de Cultura, órgão que dentre outras coisas tem por finalidade tentar barrar a destruição do patrimônio histórico.
A ideia inicial seria fazer um levantamento de todos os prédios a serem tombados e listar todos os seus proprietários, em seguida convocá-los para uma conversa. Nesse diálogo além da lei deviria ser apresentadas a eles as infinitas possibilidades de uso desses prédios sem que seja necessária a sua destruição física.
Muitos desses prédios foram construídos pelos fundadores da nossa cidade e carecem de proteção."
Compartilhamos aqui algumas fotos de fachadas, publicadas no Orkut em 2009, que deveriam ser preservadas: