9 de maio de 2010

Hino a Mãe Glória

Mãe Gulora em sua residência em abril de 2007 - foto Raimundo Soares Filho
Não precisa ser letrada
Nem mesmo ser diplomada
Para um parto fazer
A Medicina te aceita
Mesmo sabendo a receita
Como nasce um bebê

Oh MÃE GLÓRIA conte a história
Das noitadas fora de hora
Que faziam tu correr (BIS)

Oh MÃE GLÓRIA conte a história
Do ramo de vassourinha
Pra rezar no teu bebê
Da casca da umburana
Da raiz da gitirana
Para o remédio fazer

Oh MÃE GLÓRIA conte a história
Das noitadas fora de hora
Que faziam tu correr (BIS)

Oh MÃE GLÓRIA conte a história
Do balaio cheio de brasa
Que a alfazema defumava
A roupa do teu bebê
Do talco feito de goma
Da papinha de farinha
Pra teu bebê comer

Oh MÃE GLÓRIA conte a história
Das noitadas fora de hora
Que faziam tu correr (BIS)

Oh MÃE GLÓRIA conte a história
Do cavalo na espora
Correndo pra socorrer
Assistência não havia
Oh meu Deus que correria
Pra salvar a mãe do bebê

Oh MÃE GLÓRIA conte a história
Das noitadas fora de hora
Que faziam tu correr (BIS)

Oh MÃE GULORA conte a história
Do chiqueiro de galinha
Para o pirão comer
Mulher gemia e se espremia
Ferramenta não havia
Para um parto fazer

Oh MÃE GLÓRIA conte a história
Das noitadas fora de hora
Que faziam tu correr (BIS)

Oh MÃE GULORA conte a história
Os doutores lá de fora
Vieram aqui só pra te ver
Projeto Rondon não explica
Simplesmente certifica
O teu dote com o nascer

Oh MÃE GLÓRIA conte a história
Das noitadas fora de hora
Que faziam tu correr (BIS)

Oh MÃE GULORA conte a história
Do marido no terreiro
Esperando teu dizer
Já com o menino ao colo
Tu cantavas uma cantiga
Há, há, há, ê, ê, ê
Zé Menino e Deuzelina
Só viviam na esquina
Apenas pra te rever

Oh MÃE GLÓRIA conte a história

Das noitadas fora de hora
Que faziam tu correr (BIS)

Oh Mãe Glória conte a história
Do pano do teu cueiro
Pra enrolar o teu bebê
Tinha renda, cianinha
Bordado, flor e fitinha
Não havia pra vender

Oh MÃE GLÓRIA conte a história

Das noitadas fora de hora
Que faziam tu correr (BIS)

Oh Mãe Glória conte a história
Do marido no terreiro
Esperando teu dizer
Já com o menino ao colo
Tu cantavas uma cantiga
Há, há, há, ê, ê, ê
Zé Menino e Deuzelina
Só viviam na esquina
Apenas pra te rever

Oh MÃE GULORA conte a história

Das noitadas fora de hora
Que faziam tu correr (BIS)

Oh Mãe Glória conte a história
Doutô Eluizo agora
acabou de me dizer
Tu tens um conhecimento
Merecendo um monumento
Pra essa cidade erguer

Oh MÃE GLÓRIA conte a história

Das noitadas fora de hora
Que faziam tu correr (BIS)

Oh Mãe Glória conte a história
São versos e rimas que imploram
Na maternidade escrever
O nome de MÃE GLÓRIA
Não importa que alguém chore
Passado tem que morrer

Oh MÃE GLÓRIA conte a história

Das noitadas fora de hora
Que faziam tu correr (BIS)

Oh Mãe Glória conte a história
De um valor que se isola
Sem ninguém reconhecer
Apenas uma cantiga
Retribui a tua vida

Oh MÃE GLÓRIA conte a história

Das noitadas fora de hora
Que faziam tu correr (BIS)

Letra: Maria Luiza Oliveira

Nenhum comentário:

Postar um comentário

A Administração do Blog de Altaneira recomenda:
Leia a postagem antes de comentar;
É livre a manifestação do pensamento desde que não abuse ou desvirtuem os objetivos do Blog.