12 de novembro de 2010

O inesquecível Valdemar Poeirão

Valdemar Poeirão em foto de 1992
Valdemar Rodrigues dos Santos, popularmente conhecido como Valdemar Poeirão nasceu em Nova Olinda, mas ainda jovem fixou residência em Altaneira, onde construiu sua família.

Motorista de caminhão, nos tempos em que as rodovias não eram pavimentadas por onde passava deixava um longo rastro de poeira, daí o apelido.

Na década de 80 era o motorista do Prefeito Chico Fenelon e Chefe de Obras do Prefeito João Ivan, cargo do qual foi demitido quando decidiu apoiar o Dr. Eluizo Magalhães candidato a Prefeito em 1992.

Naquele mesmo ano decidiu sair candidato a vereador, mas não foi eleito.

Com a desistência da política foi trabalhar na empresa TransCeará na linha Altaneira-Crato e posteriormente em todas as linhas do Sul do Ceará e Sertão dos Inhamuns.

Aposentado por invalidez, em face de problemas na visão, voltou a discutir política em Altaneira, sempre formava uma roda de amigos.

O atual vereador Flavio, um de seus mais diletos amigos, diz que um cidadão como Valdemar Poeirão era pra ser imortal, pois sua companhia e prosas faz muito falta aos amigos e a própria cidade.

Valdemar Poeirão era presença marcante em nossa comunidade sempre tinha uma resposta pronta para qualquer assunto, principalmente se fosse sobre política.
Valdemar Poeirão em imagem de 1976 em Altaneira
Transcrevemos aqui algumas de suas tiradas mais marcantes, vamos lá:

Certa tarde Valdemar Poeirão quando passava em frente a mercearia de seu Cícero Rufino foi informando que seu Ivan, ainda prefeito, tinha passado por uma cirurgia, mas estava bem. Seu Cícero de forma irônica disse:
- é Vardo acho que dessa vez ele não morre não.
Ele imediatamente respondeu:
- tomara que não. eu não quero ver ele morto não. eu quero ver ele é na cadeia.

* * *
Valdemar Poeirão gostava de jogar baralho, as vezes passava a noite toda jogando. certa vez jogando pife, já altas horas, cochilou. quando olhou as cartas estava armado. o parceiro indagou:
- e aí Valdemar vai?
Ele pacientemente respondeu:
- eu taaaaaava dormiiiiiindo eeee saí armado imagino vocês que tavam acordados, vou não.

* * *
Valdemar Poeirão apesar de não ser letrado era entendido no ramo da construção civil.
Certo dia numa daquelas famosas rodas de discussão no Restaurante Nossa Casa, o Roso Bitu afirmou categoricamente que não tinha confiança em construção de parede de meio tijolo.
Ele mais uma vez pôs o fim a discussão com essa:
- grande coisa Roso, muito mais larga é uma Caieira e também cai.

Confiras essas e outras na Comunidade dedicada a Valdemar Poeirão no sítio de relacionamentos Orkut.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

A Administração do Blog de Altaneira recomenda:
Leia a postagem antes de comentar;
É livre a manifestação do pensamento desde que não abuse ou desvirtuem os objetivos do Blog.