27 de abril de 2015

Racha político marca eleição na UVC

Sede da União dos Vereadores do Ceará (UVC) em Fortaleza (Foto: Divulgação)
Os vereadores cearenses devem escolher, na quinta-feira, (30/04), o próximo dirigente de sua entidade representativa, a União dos Vereadores do Ceará (UVC). A disputa é marcada pelo racha político ocorrido na atual gestão. 

O ex-presidente da entidade, o hoje deputado estadual Audic Mota (PMDB), havia sido eleito com apoio do grupo do ex-vice-governador e hoje conselheiro do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), Domingos Filho.

Entretanto, ao longo da gestão, Audic se aproximou do presidente do diretório estadual de seu partido, Eunício Oliveira, que rompeu com o governo no ano passado.

O hoje diretor-financeiro da entidade e candidato à presidência, César Veras (Pros), vereador de Camocim, acusa Audic de ter usado a entidade para um “projeto pessoal, para se eleger deputado”. Segundo Veras, durante a gestão do hoje deputado, a entidade ficou “estagnada”, havendo afastamento de instituições com as quais a UVC poderia firmar parcerias. “Uma UVC que arrecada R$ 20 mil, R$ 30 mil por mês não tem como se sobressair sozinha”, declara.

A reaproximação com o Palácio da Abolição tem sido uma constante entre os apoiadores de Veras, que conta com o suporte do governador, Camilo Santana (PT).

Os deputados federais José Guimarães (PT) e Domingos Neto (Pros) declararam apoio a Veras. Seu adversário, Hérberlh Mota (PSD), vereador de Baturité e primo de Audic, diz que essas acusações são “infantis”. “Quer dizer que, se o candidato deles (Guimarãese Domingos Neto) não ganhar, não vai haver essa aproximação?”, questiona.

Hérberlh afirma que, na gestão de Audic, a UVC ganhou visibilidade. Para ele, essa é a razão do acirramento da disputa. O vereador diz que o que motivou a formação da chapa foi evitar o que ele chama de “interferências políticas” que estariam acontecendo contra a entidade.

Segundo o Hérberlh, pessoas alheias aos parlamentares estariam pressionando os vereadores para votarem em Veras. O adversário nega.

O ex-presidente da entidade, Audic Mota, faz críticas semelhantes. Para ele, “uma chapa se propõe a fazer a campanha com os vereadores enquanto a outra está se propondo a fazer uma campanha de governo”
Com informações O Povo Online