20 de abril de 2015

O líder que nunca mudou de partido

´Louro Duarte na sede do DEM em Altaneira (Foto: Raimundo Soares)
Em Altaneira é comum o troca-troca de partidos das lideranças políticas. Todos os candidatos a prefeito, eleitos e derrotados, trocaram de partido pelo menos uma vez ao longo de sua carreira política, não é diferente em relação aos membros do Parlamento Municipal e as lideranças políticas sem mandato. 

Exceção a regra é o comerciante Lourival da Silva Bezerra, presidente do Partido Democratas. Louro Duarte, como é popularmente conhecido iniciou sua militância política na Aliança Renovadora Nacional (ARENA) em 1972.

No ano de 1972 se deu a primeira disputa eleitoral entre dois ex-prefeitos, Francisco Fenelon Pereira e José Rufino de Oliveira. Louro Duarte ficou com Oliveira Rufino, como era conhecido o terceiro prefeito de Altaneira, que se sagrou vitorioso naquele pleito.

Em 1976, ainda na ARENA Louro apoia a candidatura do jovem fazendário e vice-prefeito João Ivan Alcântara, alcançando a sua segunda vitória nas urnas.

Após uma temporada em São Paulo, destino de quase todos os jovens altaneirense naquela época. Lourival retorna para a sua terceira campanha política. Com o fim do bipartidarismo a ARENA foi transformada em Partido Democrático Social (PDS) e mais uma vez Louro estava ao lado de seu líder Oliveira Rufino, só que desta vez amargaram uma expressiva derrota.

O PDS é incorporado pelo Partido da Frente Liberal (PFL), partido do então prefeito Chico Fenelon. Louro é convidado a permanecer em seu partido e ao lado de seu companheiro de campanha Raimundo Arrais de Oliveira, mais conhecido como Raimundo Rufino, aderem a campanha do ex-prefeito João Ivan que vence as eleições de 1988.

Quatro anos depois o prefeito João Ivan deixa o PFL para se filiar ao PSDB, Louro decide permanecer no PFL e apoia a candidatura do médico Dr. Eluizo Tavares Magalhães que é derrotado pelo empresário Edinaldo de Farias Souto, conhecido por Mago, pela pequena diferença de 22 votos.

Em 1996 o PFL apoia a candidatura do advogado e empresário Adevaldo Arrais que também é derrotado pelo ex-prefeito João Ivan Alcântara eleito para o seu terceiro mandato como prefeito de Altaneira.

No pleito seguinte Louro, mais uma vez tem um papel decisivo nas eleições municipais. As lideranças do PMDB decidiram abandonar a política altaneirense e Chico Fenelon defende a candidatura única do então prefeito João Ivan como forma de pacificar a política local após duas campanhas acirradas.

Após as resistências iniciais o PFL firma coligação com o PSDB e com apoio de todos os ex-prefeitos vivos, Altaneira relança candidatura única para o Executivo. Lourival mais uma vez é cotado para candidato a vereador, mas desiste da campanha em favor de seu compadre Raimundo Rufino.

A coligação PFL e PSDB se repetiu nas campanhas de 2004 e 2008 que culminou na eleição e reeleição do técnico em agropecuária Antonio Dorival de Oliveira, ambas teve como um dos coordenadores o líder pefelista Louro Duarte.

O PFL muda de nome e transforma-se Democrata, mais uma vez Louro Duarte é eleito presidente do Partido e torna-se um dos líderes da oposição após a eleição do empresário Delvamberto Soares pelo PSB.

Em virtude de uma multa aplicada pela Justiça Eleitoral no processo que culminou com a cassação do ex-prefeito Antonio Dorival o PFL corre sério risco de ser extinto em Altaneira e pela primeira vez, em mais de 40, o líder Louro Duarte pode mudar de partido.

Indagado sobre a possibilidade de pela primeira vez trocar de partido Louro Duarte disse que nada é definitivo, mas que se não for possível regularização do partido deve procurar outra sigla juntamente com outras lideranças da oposição altaneirense.