20 de março de 2012

As Punições ao Padre Cícero

Os milhares de romeiros que visitam a cidade de Juazeiro do Norte todos os anos consideram o padre Cícero Romão Batista, popularmente chamado de “Padim Ciço” como Santo e ignoram os fatos históricos oficiais.

A Igreja Católica além  de não reconhecer “os milagres de juazeiro” aplicou ao o religioso uma série de punições no período de 1889 a 1926, dentre elas a proibição de celebrar missas, expulsão de Juazeiro, excomunhão e retirada do uso de ordens.

Confiram a seguir as punições aplicadas ao Padre Cícero: 

04/11/1889 - Inconformado com notícias sobre os milagres, o bispo dom Joaquim proíbe o Padre Cícero de fazer qualquer manifestação sobre o assunto.

 6/8/1892 - Dom Joaquim suspende o Padre Cícero de confessar, pregar e administrar sacramentos. Foi a primeira pena grave imposta a ele como desdobramento das investigações dos fenômenos ocorridos a partir de 1º de março 1889, denominados popularmente de Milagres da Hóstia.

13/4/1896 - Dom Joaquim aumenta a punição e o proíbe de celebrar missa.

10/2/1897 - O Santo Ofício proíbe a permanência de Padre Cícero em Juazeiro, sob pena de excomunhão. Em 29 de junho de 1897 ele sai do povoado e vai para Salgueiro.

22/6/1898 - Após cinco interrogatórios os cardeais do Santo Ofício absolvem o Padre Cícero das censuras, mas ele permanece com a proibição de pregar, confessar e dirigir as almas e é aconselhando a procurar outra diocese.

5/9/1898 - Ele consegue autorização e, com muita alegria, celebra missa em Roma. Cardeais concederam também permissão para celebrar durante a viagem de volta ao Brasil.

15/11/1898 - Padre Cícero se apresenta a dom Joaquim em Fortaleza e lhe informa que fora absolvido em Roma. Mas o bispo não permite que ele celebre em Juazeiro.

12/7/1916 - O Santo Ofício declara o Padre Cícero incurso na excomunhão latae sententiate. Temerosos pela saúde dele, o padre não tomou conhecimento da pena.

23/2/1921 - O Santo Ofício absolve o Padre Cícero das censuras e da excomunhão, mas não concedeu o direito de celebrar, podendo o Padre Cícero receber os sacramentos como simples leigo. Há nova recomendação de deixar Juazeiro.

3/6/1926 - O Padre Cícero decide ficar em Juazeiro. Dom Quintino, acatando determinação do Santo Ofício, o suspende novamente, retirando-lhe o uso de ordens. Foi esta a última e definitiva punição.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

A Administração do Blog de Altaneira recomenda:
Leia a postagem antes de comentar;
É livre a manifestação do pensamento desde que não abuse ou desvirtuem os objetivos do Blog.