27 de março de 2010

50 anos de uma tragédia sertaneja

Barragem dois dias após o rompimento
Na manhã do dia 26 de março de 1960 acredita-se que 170 mil pessoas tiveram de abandonar às pressas as moradias devido a inundação causada pela cheia do rio Jaguaribe que destruiu a barragem do Orós.

Perderam todos os bens materiais além de plantações, rebanhos, porém não se tem notícias de mortes, segundo os mais velhos, ou do abandono da região. As famílias queriam permanecer por perto e conseguiram formar a nova vila (Guassussê).

No livro "A Tragédia do Orós" - Documento Histórico, o professor Pedro Sisnando Leite, confirma que "não houve mortes ocorridas por afogamento durante as inundações". Ele diz ainda que houve providências com a vacinação para evitar surtos epidêmicos.

O que você vai ver nesta fotogaleria do ACERVO JOSÉ RASTELLI são imagens históricas do açude Orós, quando a parede da barragem rompeu e inundou várias cidades da região Jaguaribana.
Barragem antes do rompimento
Zona rural do Município de Limoeiro
Centro da Cidade de Limoeiro
Mais fotos aqui.

Um comentário:

  1. Caro amigo, gostei de sua postagem. Sou e Limoeiro-PE e estas fotos são bem bacanas. Parabéns pelo texto

    ResponderExcluir

A Administração do Blog de Altaneira recomenda:
Leia a postagem antes de comentar;
É livre a manifestação do pensamento desde que não abuse ou desvirtuem os objetivos do Blog.