23 de fevereiro de 2016

Municípios do Cariri ganharão Coleta Seletiva

A Secretaria do Meio Ambiente do Estado (SEMA) anunciou ontem (22/02) que desenvolverá projetos de Coleta Seletiva que vão atender a 92 municípios englobando três regiões do Estado: Metropolitana de Fortaleza, Sertão Norte e Região do Cariri.

No Cariri, serão 15 municípios da Bacia do Salgado (Projeto Bird) e 11 municípios da Bacia do Alto Jaguaribe. O Plano Regionalizado de Coleta Seletiva beneficiará Altaneira Araripe, Antonina do Norte, Assaré, Campos Sales, Farias Brito, Nova Olinda, Potengi, Saboeiro, Santana do Cariri e Salitre. 

Os recursos, já assegurados na ordem R$ 197.571,82 , serão provenientes do Fundo de Defesa dos Direitos Difusos do Estado do Ceará (FDID).

O Ceará obteve R$ 4 milhões junto ao Banco Mundial (Bird), mediante recursos do Programa para Resultado - PforR - para apoiar iniciativa de coleta seletiva em 81 municípios das bacias hidrográficas das regiões Metropolitana de Fortaleza, Acaraú e Salgado. Na bacia do Salgado se inserem 15 municípios do Cariri: Abaiara, Aurora, Barbalha, Barro, Brejo Santo, Caririaçu, Crato, Jardim , Jati, Juazeiro do Norte, Mauriti, Milagres, Missão Velha, Penaforte e Porteiras.

O PforR é um projeto multisetorial com foco na sustentabilidade ambiental e na redução das desigualdades no Estado do Ceará, amparado pelo Acordo de Empréstimo do Estado com o Banco Mundial de número 8302-BR, no valor de US$ 350 milhões, assinado em 19 de dezembro de 2013 e com prazo final em 31 de janeiro de 2018.

Conforme o secretário do Meio Ambiento, Artur Bruno, "os dois projetos se complementam na região do Cariri, deixando praticamente toda região atendida". A expectativa é desses projetos começarem a ser executados em junho próximo. Até lá a Coordenadoria de Desenvolvimento Sustentável (Codes), da SEMA, terá realizado as licitações para contratação de consultoria e aquisição de maquinários para os galpões de triagem, equipamentos de proteção individual e kit de computador.

As coordenadoras do projeto, Mara Silva e Fabíola Martins, destacam que as aquisições de bens serão destinadas ao uso de associações e cooperativas de materiais recicláveis em parcerias com as prefeituras. Elas explicam que o projeto segue as diretrizes da Lei da Política Nacional de Resíduos Sólidos, baseando-se nas dimensões da sustentabilidade de modo a conciliar a conservação dos recursos naturais com o desenvolvimento econômico e a inclusão social de catadores de materiais recicláveis.

Com informações Assessoria de Comunicação da Sema