16 de dezembro de 2013

Definidos os finalistas do Municipal 2013

Cicinho e Orlando foram barrados na Portuguesa por atletas "de fora" - foto João Alves 
O final de semana foi de grandes emoções para o esporte de Altaneira que teve início na manhã de sábado, 14, com o torneio Infanto-juvenil no ginásio Poliesportivo e prosseguiu até a tarde de domingo, 15, com o segundo jogo da disputa pela vaga na grande final do 15º Campeonato de Futebol Amador.

No sábado a tarde pela segunda partida das semifinais, a Portuguesa envolvida durante toda a semana na polêmica de trazer dois jogadores semiprofissionais fora das linhas divisórias do município assim o fez e, gerou grandes expectativas de como se comportaria seu adversário, o Juventude.

Com um toque refinado e bons dribles em curtos espaços esses jogadores proporcionaram um diferencial e foram decisivos nas armações para a lusa altaneirense. Por outro lado, a equipe do Juventude, um time que de início a grande maioria não depositava confiança, demonstrou em campo superação e nessas duas últimas partidas jogou muito bem. Demonstraram muita determinação principalmente na marcação e nas saídas de bolas.


Quanto aos gols, os dois primeiros se deram por falhas na defesa. O primeiro da lusa e o segundo (empate) do Juventude foram falhas no setor defensivo. Todavia, apesar da falha no gol do empate, o lançamento para o jogador Paulinho foi primordial. As equipes foram para a etapa complementar rigorosamente empatada. 

Na metade do segundo tempo em um bate rebate na área Valberto fez seu segundo gol e deixou a lusa na frente e Teinha poucos minutos depois colocou a Portuguesa com uma larga vantagem. Nenem ainda descontou para o juve, mas sem chances mais de nenhuma reação.

No domingo, 15, no clássico das Águas, Caixa D’Água e Maniçoba entraram em campo em um clima carregado de expectativas negativas. Antes do início do jogo alguns torcedores já denotavam esse cenário com algumas chances de pancadaria o que vire e mexe era desmentido pelos atletas. Com a vantagem do empate o Maniçoba durantes os 15 primeiros minutos não dava a entender que possuía essa ligeira vantagem, pois buscava um gol de forma constante. No entanto, o Caixa conseguiu equilibrar a partida e ainda no primeiro tempo, com Erlândio abriu o marcador.

Na etapa final, o jogo ficou conturbado e em certos momentos sonolento, até que em um bate rebate na área dos maniçobanos a bola bateu na mão do zagueiro Edinho e o juiz Luciano marcou penalty. Os jogadores fizeram aquela conferência pra cima do árbitro, sem êxito. Devaldo bateu e ampliou a vantagem. A partir daquele momento o jogo não mais foi o mesmo. O Goleiro Júnior (Maniçoba) pivô da conferência e das reclamações na marcação do penalty foi mais além e pediu para trocar de posição. Tico foi ao gol e Júnior para a linha.
O jogo não ganhou mais sequência e em uma bola alçada na área do Caixa o goleiro Gilsinho caiu e demorou a se levantar. Os jogadores adversários, claro, interpretaram da forma que qualquer clube naquela situação faria. Mas a atitude do jogar Júnior não condizia com a de um jogador com bom senso. Tratou logo de levantar a força. A confusão estava formada. Como repreensão, Luciano o expulsou. 

Confusão encerrada? Nada disso, ao término da partida mais bate boca e empurrões. Júnior mais uma vez no centro das atenções e ganhou, desta feita, um parceiro de clube, Cristiano que profundamente exaltados partiam pra cima do árbitro. Os ânimos só se acalmaram com a presença do polícia militar. É digno de registro que esse tipo de ação em nada engrandece o futebol.  Atitudes desse porte precisa ser punida de forma severa.

Em Campo, o Caixa venceu e fará a grande final do 15º Campeonato de Futebol Amador com a Portuguesa na próxima quarta-feira, 18, em jogo único, no dia da emancipação política do município.

Publicada originalmente no Blog Informações em Foco