27 de dezembro de 2013

Apoiadores de Eunício divulgam gravação falsa do Lula

Circulou ontem na Internet gravação com a suposta voz do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PMDB) defendendo a candidatura do senador Eunício Oliveira (PMDB) ao Governo do Ceará. 

No áudio, de 55 segundos de duração, o personagem diz que “se Deus quiser” o peemedebista será “o futuro governador” e que “o Ceará vai ganhar muito” o elegendo.

Procurada pelo Jornal O POVO, a assessoria do Instituto Lula declarou que a gravação é falsa e pode ter sido feita por um imitador. 

O áudio foi divulgado pelo grupo chamado “Sua opinião faz toda a diferença”, que possui um blog, uma página no site Youtube e outra na rede social Facebook, com várias publicações positivas sobre Eunício e o PMDB. O blog é intitulado “Na boca do povo – Lavras da Mangabeira”, município de origem do senador e seu reduto eleitoral.

O Jornal O POVO identificou um dos administradores do grupo no Facebook. Ao ser perguntado, via mensagem, sobre a origem da gravação, ele alegou que “encontrou” o arquivo na web e apenas reproduziu nos sites do “Sua opinião faz toda a diferença”. Perguntado sobre onde havia achado o áudio, o homem parou de responder. Minutos depois, a gravação foi retirada do ar.

A peça põe ainda mais lenha no cenário pré-eleitoral no Ceará. Eunício tem anunciado abertamente o interesse em disputar a sucessão do governador Cid Gomes (Pros), mas ainda não conseguiu articular unidade em torno de seu nome e não conseguiu arrancar de Cid o apoio desejado. Para isso, dependerá da influência de Lula e da presidente Dilma Rousseff (PT).

Por meio de sua assessoria, Eunício negou estar por trás do áudio do “falso” de Lula. Ele argumentou que a última vez que o presidente fez uma gravação a seu favor foi na campanha de 2010. O parlamentar descredenciou o arquivo e afirmou que os envolvidos não teriam feito a divulgação com autorização do partido. Petistas e integrantes do PROS procurados pela reportagem preferiram não se manifestar.

O procurador regional eleitoral Rômulo Moreira Conrado disse que a divulgação ostensiva do material poderia configurar propaganda antecipada, que configura crime eleitoral sujeito a pagamento de multa. Entretanto, segundo ele, Eunício só teria punição caso ficasse atestado vínculo com a iniciativa. O procurador ainda afirmou que seria necessário analisar mais profundamente a gravação para chegar a conclusões.

Com informações O Povo Online