21 de dezembro de 2013

FUNCEME registra 112mm de chuvas em Altaneira

Passagem molhada na estrada Altaneira-Farias Brito coberta pelas águas do Riacho São Romão – foto Matheus Sousa
Conforme dados da Fundação Cearense de Meteorologia e de Recursos Hídricos - FUNCEME, choveu nos últimos dois dias 112mm em Altaneira. As chuvas foram suficientes para molhar bem a terra e abastecer alguns reservatórios. Os riachos do Felipe e o do São Romão transbordaram e em alguns deixaram a estrada intransitável para pequenos veículos. 

Os dados compreendem chuvas registradas entre 7h da última quarta-feira (18) e 7h e de ontem (20). Na última quarta-feira, foi registrado 62mm e na  50mm.

Segundo a Funceme, começou no último fim de semana o período que antecede a quadra chuva. “A pré-estação é o período que antecede o período principal, que é entre fevereiro e maio. A pré-estação é caracterizado por um baixo volume de chuvas entre dezembro e janeiro, mas há a possibilidade de mais chuvas”, afirmou o meteorologista da Funceme, Raul Fritz.

“As chuvas de dezembro começaram no último fim de semana (entre os dias 14 e 15), batendo com o que era previsto. A região mais beneficiada foi a região do Cariri, que estava em situação crítica durante o ano inteiro, sofrendo os efeitos da seca”, falou o meteorologista.

Ainda conforme Raul Fritz, as chuvas da pré-estação são resultado de uma faixa de umidade e nebulosidade do centro do País e de um fenômeno denominado vórtice. “Existe um fenômeno que estava atuando na zona central do País, a Zona de convergência do atlântico sul, que chega até a Amazônia, e ela agora alcançou uma altitude mais baixa, no Nordeste. Ela forma muita chuva. Aliado a isso, formou-se um vórtice ciclônico de altos níveis no Oceano Atlântico“, explicou.

Segundo a Funceme, há previsão de mais chuvas, a partir da criação de mais vórtices. “No centro do vórtice, não há chuvas. Se ele for formado e se posicionar no centro do Estado, não deve haver chuvas. Não existe previsibilidade de quantos vórtices podem ser formados. Temos anos que em janeiro há muitos vórtices, mas anos que se formam apenas 1 ou 2″, falou.