31 de dezembro de 2013

Deputado diz que PMDB não terá sucesso no CE se fizer alianças com o passado

O deputado federal Danilo Forte (PMDB) teceu críticas sobre prováveis parcerias políticas para a sucessão do governo do estado em 2014, na manhã de ontem (30/12). 

Do mesmo partido do possível candidato ao Governo do Estado, senador Eunício Oliveira, o deputado afirmou que Eunício pode representar uma renovação para o Ceará, desde que não se alie a forças do passado como o PSDB e DEM.

“Se o PMDB estiver pensando em fazer eleições no Ceará com o espólio do que ficou PFL (Atual DEM) e do PSDB, nós não vamos ter sucesso”, disse Danilo. O deputado ressaltou que os aliados de Dilma Rousseff (PT) no Ceará precisam buscar a unidade. “(O PMDB) precisa estar focado nas coisas do futuro, e não nas coisas do passado”, disse Danilo. 

Danilo, que seguiu ontem para Brasília, em clima de encaminhamento de emendas de Prefeituras, destacou a preocupação da presidente Dilma Rousseff com a economia. O parlamentar lembrou que o Congresso Nacional fez sua parte: aprovou o orçamento 2014 sem qualquer protelação.

O PMDB é um dos principais partidos da base aliada de Cid no Estado, junto com o PT. Há meses, no entanto, Eunício articula sua candidatura nos bastidores, sendo que as declarações nesse sentido têm sido reforçadas ultimamente. O senador, no entanto, afirma que só terá uma definição até março.

Na opinião do jornalista Eliomar de Lima do Jornal O Povo caso Cid resolva indicar outro nome – provavelmente do próprio Pros - isso significaria a ruptura da aliança com o PMDB de Eunício. Como ambos apoiam o Governo Federal, a presidente Dilma Rousseff (PT) teria no Ceará um duplo palanque para sua candidatura à reeleição. Palanque esse que pode virar triplo, caso a tese da ex-prefeita de Fortaleza e ex-presidente do PT-Ceará, Luizianne Lins, se fortaleça. A petista defende que seu partido tem legitimidade para também lançar candidato ao Governo do Estado, garantindo ainda mais força para a campanha de reeleição da presidente Dilma.

O governador Cid Gomes, por sua vez, empurra a decisão sobre o seu candidato ao Palácio da Abolição para os primeiros meses de 2014. Contudo, em todas as ocasiões em que tem oportunidade, afirma que Eunício é um amigo e um grande aliado. Chegou a expressar, inclusive, o desejo de manter a aliança com o senador peemedebista “por décadas”.

Uma relação, contudo, que não deve fazer com que Cid apoie Eunício nas eleições de 2014. Tudo indica que ele deve mesmo optar entre nomes filiados ao Pros, partido recentemente criado e que abrigou o grupo ligado ao Ferreira Gomes após a saída do PSB. Entre os nomes cotado estão o ex-secretário da Fazenda, Mauro Filho, o vice-governador Domingos Filho, o presidente da Assembleia, Zezinho Albuquerque, e a secretária estadual da Educação, Izolda Cela, que surpreendeu ao se filiar ao Pros e acabou se transformando numa espécie de trunfo de Cid Gomes.

Com informações O Povo Online