1 de julho de 2014

PSB lança Eliane Novais ao Governo do CE; Nicolle rejeita vice

Em dia de reviravoltas, o Partido Socialista Brasileiro (PSB) lançou ontem a deputada Eliane Novais para disputar o Governo do Estado. Horas antes da convenção do partido, contudo, a candidata ao Palácio da Abolição seria Nicolle Barbosa. Mas negociações entre Eduardo Campos - candidato à Presidência pelo PSB - e Sérgio Novais - presidente da sigla no Ceará - alterou a chapa, que contaria então com Nicolle na vice e Geovana Cartaxo concorrendo a uma vaga no Senado. 

Pouco tempo depois, nova mudança: Nicolle renunciou ao posto de vice e ainda entregou o cargo de presidente do Diretório Municipal do PSB. 

Em entrevista ao jornal O POVO, por telefone, Sérgio Novais adiantou o nome que substituirá Nicolle na chapa encabeçada pela deputada Eliane Novais. O empresário e advogado Leonardo Bayma entrará na disputa. Geovana Cartaxo continuará, conforme acordado na convenção, como candidata ao Senado. O PSB se diz confiante e espera chegar ao segundo turno nas eleições majoritárias, segundo Sérgio Novais.

Sob orientação do ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos (PSB), o partido terá palanque próprio no Estado do Ceará nas próximas eleições. Por meio de contatos por telefone, horas antes do início da convenção estadual, Campos e o presidente estadual do PSB, Sérgio Novais, decidiram lançar o nome de Eliane Novais e Nicolle Barbosa como candidatas a governadora e vice, respectivamente.

O anuncio oficial da candidatura de Eliane foi confirmado na convenção estadual, realizada ontem, na sede da Câmara Municipal de Fortaleza. Militantes pessebistas foram pegos de surpresa com o anúncio. Até aquele momento, Eliane Novais seria candidata a deputada federal. Durante o encontro, o nome da pré-candidata foi aclamado como uma outra opção ao Governo do Estado.

Mas, ainda ontem, horas depois do fim da convenção, Nicolle Barbosa preferiu abrir mão da candidatura na chapa. Em nota direcionada ao presidente Sérgio Novais e demais membros do partido, Nicolle justificou a decisão. “Sem me assegurar o mínimo de tempo para fazer reflexão do que estava acontecendo, profundamente constrangida e, em respeito aos convencionais presentes, fui compelida a concordar. Diante desses fatos, não me resta outra atitude digna, senão renunciar”, escreveu. Ao final da nota, Nicolle Barbosa disse estar com a consciência tranquila e leve, e que não abre mão de continuar a trabalhar por uma “nova política”, defendida por Eduardo Campos e Marina Silva.

Sérgio Novais, por sua vez, disse não entender a postura de Nicolle Barbosa, pois ela foi colocada na chapa para reforçar a aliança com a deputada. Ele reconheceu o trabalho de Nicolle dentro partido, desde que entrou, em setembro de 2013, mas afirmou que este é um momento de unir forças, e se disse tranquilo sobre a decisão. Nicolle era presidente do Centro Industrial do Ceará (CIC), mas deixou o cargo em março para se dedicar à pré-campanha.

Com informações O Povo Online