3 de outubro de 2015

"Não há mais desculpas" por Eduardo Amorim

Plenário da Câmara Municipal de Altaneira (Foto: Junior Carvalho)
Na Sessão Ordinária da Câmara Municipal de Altaneira de ontem (02/10), vultosas discussões foram levantadas entre o grupo de maioria e de minoria. Como vem sendo de costume, uma Ordem do Dia mínima, com apenas um requerimento de autoria dos vereadores Professor Adeilton  (PP) e Genival Ponciano (PTB) que solicitava a relação dos conselheiros dos conselhos escolares das escolas municipais. 

O vereador/líder argumentou que queria a relação para saber dos atos que estes estão praticando. Os parlamentares do Solidariedade, a começar pelo vereador Deza Soares disse que votaria favorável por ser a favor da transparência e de confiar nos conselheiros que estão tendo formação continuada na atual gestão.

Já Flávio Correia disse que não deve haver blindagem com ninguém e que ao contrário dos vereadores do bloco da maioria é a favor da transparência (estava lembrando de que requerimentos de sua autoria que investigavam o legislativo foram barrados pelo grupo de maioria). O requerimento foi aprovado por unanimidade.

Já no Tema Livre, a vereadora Zuleide Ferreira (PSDB) reclamava da crise econômica que o país sofre, a ser questionada pelo Vereador Flávio sobre o motivo de não ter votado favorável a ao projeto dos temporários que gerava cerca de cem empregos a Vereadora disse que “barramos o projeto dos temporários para as leis serem mais ou menos cumpridas”. Gerou espanto uma legitimada pelo povo para fiscalizar o cumprimento das leis, dizer que estas devem ser cumpridas “mais ou menos”.

Flávio rebateu a vereadora dizendo que ela não morava em Altaneira e não sabia a realidade do munícipio, pois a administração do executivo deu oportunidade à várias pequenas empresas de altaneirenses que prestam serviços públicos na cidade.

Mais tarde Adeilton disse que essas pequenas empresas estavam envoltas em corrupção já que a administração pública teria aberto essas empresas e estas ganharam as licitações. Flávio rebateu dizendo que o parlamentar não tem moral para colocar palavras na sua boca, pois o governo deu a oportunidade, as empresas venceram a licitação por mérito próprio e devem se organizar para se manter com suas próprias pernas.

Mereceu destaque a volta do vereador Antonio Leite (PRB) a sua bancada, o mesmo estava na função se Secretário de Infraestrutura desde o final de 2014. O mesmo usou seu tempo no tema livre para responder ao Vereador Genival que reclamou das ações da Polícia Militar e do Detran na nossa cidade.

Antonio disse que se os vereadores do bloco de oposição tivessem aprovado o projeto do Demutran, o trânsito da cidade seria moralizado e educado, e a incidência de multas e apreensões de veículos seria menor, além de gerar dez empregos diretos. Antonio ainda relatou da importância das obras que estão acontecendo no nosso munícipio, onde em todas são empregados altaneirenses.

Os discursos mais inflamados foram a respeito do pronunciamento do vereador Deza, que apresentou em plenário uma denúncia que fez ao Ministério Público, juntamente com o vereador Flávio sobre a concessão graciosa de diárias pela Presidente, a seis vereadores para o último final de semana impedindo a realização da sessão ordinária.

Adeilton saiu em defesa da presidente dizendo que ela só concedeu a diária por que eles haviam solicitado e atacou o Deza dizendo que o mesmo em onze meses como presidente gastou onze mil reais com diárias só dele. Deza respondeu dizendo que se dividir o valor total das diárias por ele gasto, por o número de meses, dá uma média de mil reais por mês, e que os vereadores receberam a quantia de R$1.280,00 em um único final de semana.

Mais uma vez este acadêmico foi citado dessa feita pelo o vereador Genival afirmou que eu me achava inteligente, “mas fazia postagens idiotas”, se provavelmente se referindo ao relato desta coluna na última sexta-feira (25/09), em que questionei o desrespeito com o povo, e ainda disse que “se tem dinheiro na Câmara, é para gastar”.

Lamento informar, meu caro vereador, Vossa Excelência está equivocado, pois o dinheiro do povo é sim para ser gasto, mas é em benefício do povo. Em mais de duas horas de sessão, nenhum dos vereadores, relatou o que aconteceu no “Congresso”, nem tão pouco o assunto, ou seja, ninguém justificou tal viajem.

Não há mais desculpas na Câmara Municipal, não conseguiram justificar o congresso que foram, nem ao menos tentaram. Em tempo, também não há mais desculpas por parte da presidente, que sempre que perguntada respondia que “é porque pago a dez vereadores”, a partir de agora, o pagamento só será feito a nove. Esperemos para ver onde vai ser convertido o valor que ela tanto reclamava de estar pagando a mais.