14 de outubro de 2015

Lula pede que dirigentes sindicais defendam governo

O ex-presidente Lula chegou cerca de três horas antes do horário marcado para a abertura do 12º Congresso Nacional da CUT, que começou ontem em São Paulo.

Por volta das 18 horas, Lula falou a dirigentes e integrantes de centrais sindicais internacionais que vieram para o evento, que se estenderá até sexta (16/10). 

O ex-presidente falou sobre a necessidade de defender um governo que iniciou o diálogo com os trabalhadores e abordou a crise econômica e política da atualidade.

“O problema que vivemos hoje é mais político que econômico, já vivemos crise muito maior que essa, um país que tem 200 milhões de habitantes precisa acreditar em si, no seu mercado interno”, disse Lula.

“Não adianta terceirizar a política, precisamos de dirigentes com disposição para enfrentar a crise”, destacou.

Lula também estimulou os sindicalistas a voltarem a fazer trabalhos de base. “Tente fazer esta experiência, talvez percebamos que fazemos pouco diante do que temos para fazer: diante de sindicatos vazios, passamos a frequentar as fábricas. O sindicato ficou muito mais forte”.

Também foi relatado que Lula enfatizou que o mundo vive um momento especial em que um negro foi eleito nos Estados Unidos, uma mulher no Brasil, um índio na Bolívia, em menção a Evo Morales, e um homem que passou sete anos em uma solitária, referindo-se ao ex-presidente e senador uruguaio Pepe Mujica.

A presidente Dilma e o ex-presidente do Uruguai, Pepe Mujica, também participaram da abertura do Congresso.

Com informações Agência Brasil e fotos de Liydiane Ponciano