29 de setembro de 2015

O PDT ganhou o prefeito da Capital e 63 prefeitos do interior

Nomes de peso da política estadual e nacional prestigiaram o ato de filiação dos prefeitos ao PDT (Fotos: Tatiana Fortes)
Roberto Cláudio e outros 63 prefeitos do interior do Estado se filiaram, na noite de ontem (28/09), ao PDT. O evento de filiação, realizado no Hotel Praia Centro, reuniu dezenas de aliados, como o governador Camilo Santana (PT), partidos da base de sustentação do grupo no Ceará, além de lideranças locais e de outros Estados. 

Com o ato, o prefeito de Fortaleza inicia sua preparação para o processo eleitoral que se avizinha, buscando garantir sua reeleição. No Pros, partido de menor expressão em relação ao PDT, Roberto Cláudio teria maior dificuldade para se reeleger com o pouco tempo de televisão na propaganda eleitoral, espaço fundamental para defender a gestão e apresentar propostas para o segundo mandato.

À imprensa, Roberto Claudio tentou não falar sobre eleição municipal, negando que a candidatura à reeleição tenha sido a principal motivação para mais uma mudança de partido.

“Nenhuma circunstância local, casuísmo ou interesses pessoais poderiam se sobrepor à importância desse movimento que tem uma repercussão nacional. As candidaturas municipais estão em curso. No momento certo iremos fazer esse debate municipal”, disse. A mudança do grupo para o trabalhismo também abre a possibilidade do aliado político, Ciro Gomes, se candidatar à presidência da República em 2018.

A presença do presidente nacional da legenda, Carlos Lupi, alimentou a possível projeção nacional do ex-ministro. “O Brasil está cansado dessa polarização. Cid e Ciro Gomes podem ser uma novidade na forma de pensar o País”, afirmou.

O governador Camilo Santana, que esteve também no ato de filiação de Ciro Gomes em Brasília, enalteceu a figura do ex-governador reconhecendo, inclusive, seu papel de “liderança” no Brasil. “O Ciro, nesse momento de muita dificuldade que passa o nosso País, tem um papel muito importante como líder, como pessoa respeitada”.

A presença de Camilo no evento que teve o prefeito Roberto Cláudio como estrela principal demonstra o tamanho da proximidade entre os dois, que pode se transformar em uma possível aliança para 2016. O único entrave seria a quase certa candidatura de seu partido, o PT, nas eleições do ano que vem.

Primeiro filiado do grupo, Ciro afirmou que sua chegada ao PDT reforça o trabalho do partido contra o que chamou de “movimentos golpistas” da oposição ao governo da presidente Dilma Rousseff (PT).

“A nossa ideia é proteger a democracia da escalada golpista e, no mesmo passo, pressionar para que o governo volte se reconciliar com os valores e com os grupos sociais que lhe deram a eleição”.


Com informações O Povo Online