3 de maio de 2016

Tese de candidatura do PMDB em Fortaleza deve ganhar força com Temer

A tese de candidatura própria do PMDB para as eleições municipais em Fortaleza deve ganhar força com a probabilidade crescente de Michel Temer chegar ao comando do Palácio do Planalto nos próximos dias. 

Nomes do partido reconhecem que o vice-presidente, assumindo o Governo Federal, poderia trazer influência política ao candidato peemedebista de Fortaleza.


Com a Presidência da República nas mãos de “um partido com a estrutura do PMDB”, o senador Eunício Oliveira reconhece que a candidatura local se fortaleceria, apesar de críticas de opositores aos possíveis planos do governo Temer.

“Os programas do partido, até aqui, foram apenas estudos da Fundação Ulysses Guimarães, que recebe fundo partidário para realizá-los. O verdadeiro programa de Temer ainda está sendo elaborado”, esclarece. Para ele, as críticas são “discursos” promovidos pelo PT, que “perdeu a condições de governar” e “tenta criar disputa política e desqualificar a possibilidade de um governo forte”.

O vice-prefeito Gaudêncio Lucena (PMDB), um dos nomes fortes entre os pré-candidatura do partido, admite que exista espaço para críticas, porque “os remédios que serão adotados para a recuperação da economia são, na grande maioria, amargos” e que a imprensa tachará as medidas de “posturas neoliberais”, com apelo negativo.

“A ascensão de Temer, porém, será positiva: ampliará o arco de partidos que desejarão formar aliança para a implantação de um novo governo no município e no Brasil”, avalia Gaudêncio, que também não nega que tenha a preferência de Eunício Oliveira, fruto de trabalhos conjuntos e “amizade de longa data”, para representar a coligação na disputa municipal.

O ex-vereador Marcelo Mendes e o deputado Vitor Valim formam, junto a Gaudêncio, o trio de favoritos à candidatura do PMDB. Para Valim, pré-candidato com mais chances na sigla, o “importante é ter candidatura própria e uma união dos partidos de oposição para combater o modelo de governo que está aí, no município e no Estado”, em referência às gestões Roberto Cláudio e Camilo Santana.


Com informações O Povo Online