12 de outubro de 2021

Os deuses, deusas e as religiões no Blog de Altaneira

Os relatos sobre Tupã, Zeus, Oxalá, Jesus Cristo e Maomé foram postados no primeiro ano
do BA (Foto: Reprodução/Crédito nas postagens) 

Publicamos no lançamento do Blog de Altaneira e lembramos a cada aniversário que o BA não visa fins lucrativos, mas tão somente promover e divulgar nosso Município, propiciando um espaço para discutirmos política, cultura e outros temas de interesse coletivo.

Um(a) desavisado(a) leitor(a) acusou que o BA estava a serviço da Igreja Católica, mas uma simples leitura nas postagens publicadas no primeiro ano seria suficiente para um pedido de desculpas, pois, apesar das diversas postagens sobre Jesus Cristo, santos e santas da Igreja Católica publicamos sobre mitologia grega e indígena, sobre o islã e as crenças afro-brasileiras.

O artigo da Wikipédia sobre “Os deuses da mitologia grega” foi postado em 25 de março de 2010. Um rico trabalho sobre os deuses e deusas adorados e cultuados na antiga Grécia. A obra “Os Doze Deuses Olímpicos” de Nicolas-André Monsiau do final do século XVIII ilustra a postagem

A primeira sexta-feira santa do BA foi no dia 02 de abril, dia da postagem de “Jesus Histórico” também uma reprodução de um artigo da Wikipédia e refere-se a uma série de reconstruções acadêmicas do século I da figura de Jesus de Nazaré. “Estas reconstruções são baseadas em métodos históricos, incluindo a análise crítica dos evangelhos canônicos como a principal fonte para sua biografia, juntamente com a consideração do contexto histórico e cultural em que Jesus viveu”, diz o texto.

No dia primeiro de dezembro de 2010 publicamos o artigo "A ORIGEM DO NATAL" do pastor Edemar Vitorino que traz alguns questionamentos sobre “a celebração do nascimento de Jesus Cristo”, a data, os símbolos e a “troca de presentes” no natal. No dia 24 de dezembro postamos “Então é Natal...”, uma chamada para o primeiro texto que se tornou uma das mais visualizadas do BA.

No “Dia do Índio” de 2010 publicamos sobre “Os deuses da Mitologia Tupi-Guarani”, onde a figura primária da criação é Tupã, que contou a ajuda da deusa da Lua Jaci para criar “tudo sobre a face da Terra, incluindo o oceano, florestas e animais”, além das “estrelas foram colocadas no céu”. Reza a lenda que Tupã criou a humanidade em uma cerimônia elaborada, formando estátuas de argila do homem e da mulher com uma mistura de vários elementos da natureza e “depois de soprar vida nas formas humanas, deixou-os com os espíritos do bem e do mal e partiu”. Desenhos de Tupã e Jaci ilustram a postagem

A história do “O Profeta Maomé” foi publicada em 25 de abril de 2010 e no dia 18 de novembro do mesmo ano publicamos a história da primeira mulher do islamismo “Cadija, a Grande”, esposa de Maomé.

Publicamos em 10 de agosto de 2010 “Os Profetas do Islão”, mostrando que Alcorão identifica uma série de homens também referidos nos textos sagrados do judaísmo e do cristianismo. Desenhos de Abraão e Moisés em gravuras da idade média ilustram a postagem

Em 13 de maio de 2010 publicamos “Os Orixás afro-brasileiros”, mais um texto da Wikipédia que aborda as religiões afro-brasileiras, originadas na cultura de diversos povos africanos trazidos ao Brasil entre os séculos XVI a XIX com destaque para o candomblé e a umbanda.

No ano de 2011 iniciamos a série “Santos do Dia” com postagens diária sobre os santos e santas da Igreja Católica e outras postagens relacionadas Jesus Cristo, dentre elas se destacam:

“As mulheres da vida de Jesus” em 08 de março de 2011;

"Será se a Última Ceia de Cristo foi afinal numa quinta-feira?" por Ricardo Paz Barroso postado em 20 de abril de 2011;

A Crucificação de Cristo, a partir de um ponto de vista médico por C. Truman Davis em 22 de abril de 2011.

A lenda da “A Papisa Joana”, uma mulher que teria reinado como papa e governado a Igreja católica por dois ou três anos, durante a Idade Média, publicada em 17 de julho de 2011, causou um certo alvoroço. Embora a história pretensamente tenha se passado no século IX, só surgiu nas crônicas do século XIII, e posteriormente se espalhou por toda a Europa. Um dos sinais mais fortes da existência de Joana é um decreto publicado pela corte de Roma, proibindo que se colocasse Joana no catálogo dos papas. 

Ainda em 2011 publicamos sobre “Os evangelhos apócrifos” um conjunto de cópias manuscritas na língua copta de textos banidos da Bíblia pela Igreja Romana. O jarro ficou 1.600 anos sob a areia do deserto, até ser achado por um grupo de beduínos, em 1945, perto da cidade egípcia de Nag Hammadi. Os textos foram traduzidos e chegaram ao conhecimento dos cristãos do mundo. Hoje, milhares de pessoas professam suas crenças com base no Evangelho de Tomé, o de Filipe e o de Maria Madalena.

Diante de todo o exposto  fica difícil acreditar que o Blog de Altaneira esteja a serviço da Igreja Católica.


Leia também:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

A Administração do Blog de Altaneira recomenda:
Leia a postagem antes de comentar;
É livre a manifestação do pensamento desde que não abuse ou desvirtuem os objetivos do Blog.