5 de novembro de 2014

Cid leva a Dilma proposta de criar bloco para neutralizar PMDB

Dilma entre Camilo e Cid após reunião no Planalto (Foto: Divulgação)
O governador Cid Gomes (Pros) levou ontem à presidente Dilma Rousseff (PT) a proposta de criação de um partido ou bloco partidário à esquerda, que permita ao Governo Federal diminuir a dependência do PMDB. A iniciativa surge no momento em que o líder do PMDB na Câmara, Eduardo Cunha (RJ), trabalha para formar “blocão” para tentar se eleger presidente da Casa, contrariando o PT. 

Acompanhado do governador eleito Camilo Santana (PT), Cid conversou com Dilma, em Brasília. A ideia seria concretizada com a fusão em uma nova legenda de siglas como Pros, PCdoB e PDT, ou com aliança desses e de outros partidos para compensar a força do PMDB.

 “Isso ajuda na governabilidade e reduz aí o espaço da pressão que muitas vezes beira até a chantagem”, disse Cid, ao sair da reunião no Palácio do Planalto. Ele não falou a opinião de Dilma sobre a proposta.

O governador afirmou que a nova legenda poderia agregar inclusive parlamentares de seu partido anterior, o PSB, e do Psol (que, no Ceará, é oposição a Cid). “Eu penso que há pessoas insatisfeitas neste arco de esquerda, acho que há gente insatisfeita no PSB. Até no Psol”, disse.

Segundo Cid, Dilma enfrentará dificuldades no segundo mandato e poderá sofrer represália de aliados por causa da última eleição.

“Penso que o governo dela tem em 2015 um ano de muita contenção de despesas, de ajuste fiscal muito forte. Acho que nesses dois meses ela vai passar por grandes dificuldades por conta de sentimentos raivosos, de vendeta, que atribuem a ela insucessos eleitorais, injustamente. Quero ajudá-la nisso, para reduzir um pouco as estratégias dos que querem prejudicá-la, prejudicar o País, prejudicar o governo”, afirmou o governador.

O ministro Ricardo Berzoini (Relações Institucionais) pediu ontem “calma” a líderes aliados na discussão sobre a presidência da Câmara. A eleição é em fevereiro.

O Planalto está preocupado com a movimentação do líder do PMDB, Eduardo Cunha (RJ). Ele já costurou apoio de sua bancada e ofereceu ontem almoço reeditando o chamado “blocão” da Câmara para consolidar sua candidatura. O “blocão” reúne partidos como PR, PSC, PTB e Solidariedade, que no início do ano impuseram derrotas ao Planalto na Casa.

O PT pretende lançar candidato contra Cunha, mas também pode apoiar nome de outra sigla para tentar diminuir tensão com o PMDB. Em reunião recente da cúpula petista, um líder teria defendido que “qualquer deputado” seria melhor que Cunha.

Com informações O Povo Online