4 de fevereiro de 2015

Após veto de Raimundão, ciclistas do Crajubar mobilizam campanha por ciclovias

Os ciclistas prometem atividades constantes até a revogação do veto
 Na última terça-feira (03), ciclistas de Crato, Juazeiro do Norte e Barbalha se reuniram em repúdio ao veto do prefeito Raimundo Macêdo (PMDB) ao Projeto de Lei de criação do sistema cicloviário em Juazeiro do Norte. Em “bicicletada”, desceram a rua São Pedro em direção à Câmara Municipal de Vereadores, onde aconteceu uma plenária com o vereador Cláudio Luz (PT), autor do projeto. Cerca de seis equipes de ciclismo, num total de 60 pessoas, ocuparam o plenário da Câmara de Vereadores com suas bicicletas e participaram da atividade.
Inconformados com a falta de políticas públicas de mobilidade urbana na região do Cariri, a mobilização pretende organizar um fórum aberto de discussão e ações educativas que visam debater a integração de diversas modalidades de transporte (bicicletas, metrô, ônibus etc.) com melhorias na infraestrutura viária da cidade. Os ciclistas prometem atividades constantes até a revogação do veto. 

O projeto vetado propunha a criação de ciclovias, ciclofaixas, faixas compartilhadas e integração de bicicletas aos terminais de ônibus e metrô. Para João Almeida, de 50 anos, ciclista há pelo menos 11 anos, é preciso a união de todos os ciclistas e apoiadores das cidades circunvizinhas para pressionar vereadores e governos municipais a discutir mobilidade para além do carro. 


Segundo a professora universitária e ciclista Aglaíze Damasceno, a implementação do sistema cicloviário poderia trazer benefícios não apenas aos ciclistas, mas à população como um todo, já que levanta discussões também sobre transporte público, arruamento, arborização, revitalização de espaços e etc.


         
Em 2014, o Departamento Nacional de Transito cadastrou 28.494 automóveis, 43.591 motos e 7.387 motonetas em Juazeiro do Norte. Os dados apontam para um incremento de aproximadamente 57% na quantidade de automóveis na cidade referente a anos anteriores. Alternativo a isso, o desatualizado Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano, responsável por zoneamentos, ordenação do solo e planejamento urbano de preservação do meio ambiente e acessibilidade teve sua última revisão em 2000. 

Para a Prefeitura Municipal, no momento, ruas estreitas e crescimento da frota de automóveis impedem a viabilidade de construção de ciclovias na malha viária. Segundo reportagem do Diário do Nordeste (01/02), o prefeito Raimundo Macêdo afirmou que o governo municipal está fazendo um levantamento de ruas e avenidas que podem receber as ciclofaixas e ciclovias. 

A arquiteta e urbanista, Débora Macêdo, lembra que o município ainda está em atraso com o plano nacional de mobilidade urbana (Lei 12.587/2012) e tem até Abril deste ano para entrar nos moldes.