11 de fevereiro de 2015

Genecias Noronha aponta reformas política e tributária como prioridades

O deputado Genecias Noronha (Solidariedade) aponta como propostas prioritárias a serem analisadas pela Câmara neste ano as reformas política e tributária. Entre as alterações no sistema político do País, o parlamentar defende o fim do voto proporcional – que elege deputados federais, estaduais e vereadores – e a mudança da idade mínima para que uma pessoa se candidate a deputado federal.

“Esse ano promete, acho que será bastante movimentado. A nossa pauta principal deve ser a reforma política. Não poderemos abrir mão disso. Mas também devemos pautar a reforma tributária, que seria salutar para o País, diante da crise que se instalou”, afirmou. 

De acordo com Genecias Noronha, o governo prometeu uma coisa e está fazendo o inverso do que disse. “Além de tirar direitos trabalhistas, aumentou os juros, a energia, o combustível. O brasileiro não pode ficar parado. Temos que nos movimentar aqui no Congresso e a população tem que movimentar nas ruas também”, ressaltou.

No caso da reforma política, Noronha defende o fim do voto proporcional transformando as eleições para deputados e vereadores em majoritárias, nas quais os candidatos mais votados serão eleitos.

“Vou dar um exemplo: não tenho nada contra o deputado Tiririca [PR-SP], que fez mais de um milhão de votos. Mas as regras da proporcionalidade permitem que ele traga, para a Câmara, mais quatro ou cinco deputados junto com ele [em razão do alto número de votos que teve]. A pessoa votou no Tiririca e acabou elegendo outros por tabela. No distritão isso não vai acontecer, porque só os mais bem votados serão os verdadeiros representantes do povo”, explicou.

Genecias Noronha também informou que apresentará uma emenda à Comissão Especial da Reforma Política para permitir que jovens de 18 anos possam se candidatar a deputado federal e estadual. A idade mínima, atualmente, é de 21 anos. Já para se candidatar a vereador, a lei exige que o jovem tenha, pelo menos, 18 anos.

“Hoje vejo aqui uma grande renovação, com muitos jovens no Congresso. Acredito que não seria um alarde se nos permitíssemos a redução da idade dos deputados federais para 18 anos”, avaliou.

Com informações Portal Solidariedade