4 de junho de 2018

Novos prefeitos são eleitos em quatro municípios cearenses


Quatro municípios cearenses tiveram novos prefeitos eleitos ontem, após os antigos gestores terem sido cassados pela Justiça Eleitoral. Tianguá, Santana do Cariri, Frecheirinha e Umari protagonizaram pleitos tranquilos, que levaram quase 70 mil eleitores às urnas três meses antes das eleições gerais de outubro.

Embora acirradas, as eleições suplementares transcorreram tranquilamente, sem grandes incidentes relatados até o fechamento desta matéria. A apuração dos votos terminou por volta das 20 horas de ontem, tenso sido Umari a última cidade a terminar a contagem.

Em Tianguá — a maior cidade entre as quatro, com mais de 50 mil eleitores —, Dr. Jaydson (PTB) foi eleito com 22.203 votos, o equivalente a 53,23% dos votos válidos. O segundo lugar ficou com Dr Luiz (PSD), com 45,82%, e o terceiro com Zé Terceiro (PEN), que alcançou apenas 0,95%.

O ex-prefeito e vice-prefeito da Cidade, respectivamente Luiz Menezes de Lima (PSD) e Aroldo Cardoso Portela (PMB), tiveram o registro de candidatura impugnado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Santana do Cariri foi o município com resultado mais acirrado. Pedro Henrique (MDB) foi eleito com 5.004 votos, apenas 15 a mais que o adversário Vicente Brilhante (PDT). No seu discurso de comemoração, o novo prefeito, que é do mesmo partido do senador Eunício Oliveira, afirmou que deverá apoiar a candidatura de reeleição de Camilo Santana (PT) ao governo do Estado.

A ex-prefeita da Cidade, Danieli de Abreu Machado (PSL), e o antigo vice-prefeito, Juracildo Fernandes da Silva (PCdoB), foram cassados por abuso de poder político e econômico nas eleições de 2016.

Em Frecheirinha, a candidata Silvinha (PP) teve seu registro de candidatura indeferido e, portanto, todos os 4.755 votos que recebeu foram considerados nulos. Ela entrou com recurso no Tribunal Regional Eleitoral do Ceará (TRE-CE), mas caso ele seja aceito, ela ainda permanece no segundo lugar da disputa. Isso porque Helton Luís (PDT) foi eleito com 4.934 votos, considerados, até então, 100% dos votos válidos.

Os ex-gestores da Cidade, Carleone Júnior de Araújo (PP) e Cláudio Fernandes Aguiar (MDB), tiveram os diplomas cassados por conduta vedada a agente público. Corleone é acusado de distribuir cestas básicas à população durante a campanha.

Em Umari, o menor dos quatro municípios a realizar as eleições suplementares, Neide (PSD) foi eleita com 2.739 votos, o equivalente a 56,9% dos votos válidos. Sua concorrente Paula Viana (PHS) conquistou 2.075 votos.

Os antigos prefeito e vice-prefeita de Umari, Francisco Alexandre Barros Neto (PT) e Laura do Carmo Lustosa Ribeiro (PHS), foram cassados por compra de votos.

As eleições contaram com exatas 9.638 abstenções, além de mais de 8 mil votos brancos e nulos.

Com informações portal O Povo Online