16 de junho de 2018

Ciro ainda na disputa pela aliança com o PSB

O pré-candidato Ciro Gomes (PDT) pode ganhar um aliado forte na disputa pela Presidência da República. O PSB anunciará até o fim de junho qual legenda vai apoiar, e fontes dos dois partidos afirmam que o concorrente mais forte no momento é o PDT. O PT também trava conversas com a sigla.

Quem descarta a aliança com o PT é o pré-candidato ao Governo de Minas Gerais e ex-prefeito de Belo Horizonte, Márcio Lacerda (PSB). “O PSB não deverá se juntar ao PT. Em política nada é tão definitivo, mas, se a decisão fosse hoje, o PSB não estaria com o PT”, afirmou em entrevista coletiva ontem, após participar de evento ao lado de Ciro em Tiradentes (MG).

Lacerda, que já foi apontado até como possível vice de Ciro, também não confirma o apoio ao PDT, mas avalia que o partido socialista se divide hoje entre duas possibilidades: a de apoiar o PDT ou manter-se neutro nacionalmente durante o primeiro turno e articular coligações livres nos estados. Essa segunda opção é forte dentro do PSB e, junto com ala que defende acordo com PT, tem dividido a sigla.

Beto Albuquerque, vice-presidente da legenda, aposta nela. Nesta semana, ele afirmou que “nem Ciro, nem Marina (Silva, da Rede), nem (Geraldo) Alckmin (PSDB), nem candidato nenhum entre os que estão aí é capaz de unificar o partido”. Para Albuquerque, a melhor saída é “se concentrar na eleição de governadores, senadores e deputados”.

Nenhuma das hipóteses, porém, está definida. Na quinta-feira, 14, os presidentes do PDT e do PSB, respectivamente, Carlos Lupi e Carlos Siqueira reuniram-se para conversar sobre o assunto. O PDT também tem dialogado com DEM e PP, que formam a base do governo de Michel Temer (MDB), amplamente criticado por Ciro. Para ele, “não há impeditivo nenhum” para formar aliança com eles. “Queremos fechar um acordo em cima de projetos, de um programa de País”, explicou.

Esse trabalho de diálogo, no entanto, não tem sido feito por Lupi, mas por “interlocutores” da legenda, o que é o caso do ex-governador do Ceará Cid Gomes (PDT). “O Cid tem ajudado muito, em tudo. Ele conversa com todos, o trânsito dele é livre”, afirmou Lupi.

O irmão de Ciro chegou a encontrar-se na segunda-feira, 11, com o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ). Nas últimas semanas, fortaleceu-se a tese de que Maia desistiria de candidatar-se à Presidência, viabilizando apoio a Ciro. Ele nega. Sobre a conversa com Cid, disse que não falaram sobre aliança.

Sobre a reunião, Cid afirmou que eles estão “conversando com todo mundo”, mas a “prioridade” é o PSB. “Muito disse-me-disse, muita pressão... Até truculência! Mas vamos ficar serenos e dando curso ao diálogo com o PSB”, escreveu no Facebook.

Com informações portal O Povo Online