26 de junho de 2018

Tempos sombrios por Fernando Costa


Herodes, o Grande, rei da Judeia mandou matar centenas de crianças, segundo a Bíblia, para tentar matar uma única criança. Os tempos eram sombrios.

Os franceses e os ingleses, durante a segunda guerra, separam os filhos de seus pais para protegê-los da brutalidade nazista, com os famosos trens repletos de crianças. Os tempos eram sombrios. 

Adolf Hitler, no final da Segunda Guerra Mundial, no ano de 1945, usou crianças como soldados no seu exército. Os tempos eram sombrios.

Os ingleses, no início da Revolução Industrial, utilizaram o trabalho infantil para moverem as máquinas da indústria têxtil. Os tempos eram sombrios. 

Na República Central Africana e no Sudão do Sul, as milícias e os governos usaram crianças como soldados em suas guerras civis. Os tempos eram sombrios.

Organizações internacionais, como o Unicef e a Anistia Internacional, estimam que, em cerca de 20 países, crianças eram sistematicamente recrutadas como soldados. Os tempos eram sombrios.

Na Colômbia, as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC) também usaram crianças na sua guerrilha. Os tempos eram sombrios. Mas o que dizer quando a dita maior democracia do mundo, abusando do discurso da tolerância zero em relação a imigrantes, prende e separa filhos dos pais e obriga o mundo inteiro a ouvir o choro desesperado de crianças chamando por seus pais?

Fosse na Venezuela ou em Cuba, a direita brasileira estaria destilando seu ódio no Facebook, nas suas emissoras de TV e em seus jornais.

Mas quem comanda o terror é Donald Trump, que quer criar uma nova ordem mundial, a matriz do candidato Bolsonaro, que a direita brasileira cultua. 

Os tempos continuam sombrios no mundo e se não cuidarmos eles chegarão ao Brasil.

Publicado originalmente no portal O Povo Online