20 de junho de 2018

Maia Júnior pede afastamento do PSDB


Um dia depois de participar de evento na Câmara de Vereadores de Fortaleza ao lado do governador Camilo Santana (PT), laureado com a Medalha Boticário Ferreira, o titular da Secretaria do Planejamento e Gestão (Seplag) do Ceará, Maia Júnior, pediu afastamento do PSDB durante o período eleitoral.

Na solicitação, enviada ao partido na manhã de ontem, o secretário não menciona o termo “desfiliação”, o que dá margem para que, passada a campanha ao governo, o empresário se reintegre ao tucanato cearense.

Em entrevista ao jornal O POVO, Maia Júnior disse que “é difícil para o partido (PSDB) ter um militante nessa situação. Então pedi (afastamento) pra deixar o PSDB à vontade e o governo também”. E acrescentou: “Em princípio é um afastamento durante o período eleitoral”. Questionado se pretende retomar as atividades na sigla depois das eleições, Maia Júnior não respondeu.

A partir de agora, cabe ao PSDB avaliar se concede afastamento ou licenciamento do tucano por tempo indeterminado. De acordo com o presidente estadual da legenda, Francini Guedes, a reunião para decidir sobre o pedido do filiado está marcada para a próxima sexta-feira, 22. “Mas, como tem jogo do Brasil, pode ser que seja apenas na segunda”, disse o dirigente.

Parte da equipe de governo de Camilo desde o início de 2017, o secretário é nome intimamente ligado ao senador e ex-governador do Ceará Tasso Jereissati (PSDB). Anunciada em janeiro do ano passado, a ida do empresário para o governo petista foi interpretada como indicação do senador, que negou e atribuiu o gesto a uma decisão de Maia Júnior. Posteriormente, o próprio governador admitiria que o empresário integrava a sua cota pessoal no secretariado.

Em dezembro de 2017, na esteira dos acenos do presidente do Senado Eunício Oliveira (MDB) ao Palácio da Abolição, Maia Júnior disse que permaneceria no governo mesmo com a presença do emedebista – Eunício enfrentou Camilo nas urnas em 2014 e perdeu.

“Ficarei até o dia em que o governador, que é quem me convidou pessoalmente como profissional, entender que devo continuar”, afirmou à época.

Mesmo evitando falar sobre as razões que o levaram a pedir afastamento do PSDB, Maia Júnior admitiu desconforto de estar filiado a uma legenda que faz oposição à gestão da qual é um dos secretários mais destacados. No governo Camilo, o titular da Seplag comandou uma ampla agenda de concessões de ativos públicos à iniciativa privada. Maia Júnior também esteve por trás da reforma no secretariado do petista.

O distanciamento do secretário em relação aos tucanos se dá em momento no qual a oposição a Camilo vem sofrendo baixas sucessivas. Há pouco mais de um mês, Domingos Filho (PSD), conselheiro em disposição do Tribunal de Contas do Estado (TCE), selou a volta de seu grupo ao ninho governista, desfalcando o bloco liderado por Tasso.

A saída de Maia Júnior coincide ainda com intensificação da agenda de Camilo. Ontem, numa demonstração de força política, o governador reuniu aliados, entre deputados e vereadores, durante entrega do título de cidadão de Fortaleza (Camilo é natural do Crato) e da Medalha Boticário Ferreira.

No evento, o petista brincou que, com a presença de tantos deputados no plenário da Câmara, “podia abrir uma sessão da Assembleia".

Com informações portal O Povo Online