7 de dezembro de 2016

"Uma sociedade aflita e sem líderes" Guálter George

Inexiste meio termo. O que o País enfrenta hoje é uma crise institucional, e das mais sérias.

Os poderes não conseguem se comunicar entre eles na linha desejada de uma harmônica independência, como efeito principal de uma trágica combinação que coloca as pessoas erradas, nos lugares errados, na hora errada.


Olha-se para Executivo, Judiciário e Legislativo, estendendo-se um pouco da visão às outras instâncias complementares importantes para o equilíbrio da estrutura pública nacional, sem que se consiga vislumbrar um personagem que pareça capaz de liderar um grande processo de entendimento.

O Brasil está precisando de uma concertação urgente para que a sociedade encontre a paz de que precisa para voltar à sua normalidade cotidiana. Algo impossível com os sustos políticos que aparecem em ritmo praticamente diário e nas formas mais diferentes, incluindo mobilizações de pauta corporativa nas quais chega a caber até a imagem de uma magistrada acorrentada como inacreditável forma de protestar contra o momento difícil.

Uma magistrada! Nada mais miseravelmente simbólico para retratar os tempos terríveis que vivemos, agravados, exatamente, pela falta de noção de agentes públicos aos quais deveria caber, neste momento, atuar de maneira serena para que as soluções apareçam.


Publicado originalmente no portal O Povo Online