4 de julho de 2015

Câmara Municipal nega nova autorização para contratação temporária

Plenário da Câmara Municipal de Altaneira (Foto: João Alves)
Na manhã de ontem (03/07), em Sessão Extraordinária da Câmara Municipal de Altaneira, com os votos do bloco da maioria, os vereadores rejeitaram por maioria simples o Projeto de Lei de autoria do Poder executivo que pedia autorização para contratação temporária de excepcional interesse público por mais seis meses. 

Os vereadores do bloco da maioria indicaram que não acreditam e não confiam na realização do Concurso Público pelo Poder Executivo como motivo para votarem contra. O Líder do bloco, vereador Professor Adeilton (PP) pediu desculpas aos pares de bloco por ter encaminhado voto favorável ao projeto apresentado no início do ano pelo Prefeito Municipal.

O certame licitatório para a contratação da empresa para a realização ocorreu na semana passada, mas a única empresa que se habilitou não apresentou uma certidão, e novo prazo foi dado para a apresentação regularização.

O vereador Deza Soares, líder do Solidariedade, disse que a concessão da autorização não impediria a realização do concurso público, e que também era importante a contratação temporária para que os professores temporários recebessem os seus salários no mês de férias.

Já o vereador Flávio Correia (Solidariedade) enfatizou que com o salário de mais de 3 mil reais, qualquer vereador pode custear uma consulta médica particular, mas a mãe de família pobre do município nada poderá fazer quando chegar ao Hospital Municipal e não for atendida por falta de profissionais.

Flávio disse ainda que a sua defesa do projeto não era uma defesa do prefeito e nem tão pouco dos contratados, mas sim das pessoas que precisam dos serviços e do comércio local que também será prejudicado com o não pagamento da remuneração dos servidores que deixarão de ser contratados.

A vereadora Alice (PSB) argumentou seu voto contrário dizendo, que seu voto não era motivado por ser do grupo da maioria, mas por que cabos eleitorais do Prefeito, estavam mandando e desmandando, contratando e demitindo, os eleitores dela no Distrito do São Romão, mas ainda pediu desculpas aos temporários pelo seu voto.

O vereador Gilson Cruz (PSL) criticou a presidente Lélia por não ter o avisado sobre a realização da Sessão Extraordinária de hoje, o mesmo disse que só soube da realização da sessão por conta de conversa particular com o vereador Edezyo.

Votaram a favor do Projeto os vereadores Deza, Edezyo, Gilson e Flávio. Votaram contra o projeto os vereadores Adeilton, Alice, Genival e Zuleide. A presidente Lélia desempatou votando contrário ao Projeto.

Poucas pessoas assistiram a Sessão da Câmara Municipal que resultou na segunda derrota expressiva do Prefeito Municipal nesse primeiro semestre.

Até o fechamento desta postagem o prefeito não tinha se manifestado sobre a desaprovação do projeto, nem tão pouco como seriam continuados os serviços municipais sem os contratados de forma temporária.

Com informações de Eduardo Amorim