11 de julho de 2015

Posse de Roberto Pessoa vira ato contra os Ferreira Gomes

Roberto Pessoa (centro), ex-PR, assume a presidência do PSB (Diego Camelo)
Críticas endereçadas ao grupo dos Ferreira Gomes marcaram a posse do ex-prefeito de Maracanaú, Roberto Pessoa, na presidência do PSB no Ceará, ontem (10/07). Reunindo os principais adversários das gestões de Roberto Cláudio (Pros) e Camilo Santana (PT), a cerimônia, realizada na Assembleia Legislativa, antecipa o tom do discurso de oposição em 2016 e 2018. 

Entre os presentes à posse, estavam os deputados estaduais Capitão Wagner (PR), Heitor Férrer (PDT) e Eliane Novais (PSB); o senador Eunício Oliveira (PMDB); o vice-prefeito de Fortaleza, Gaudêncio Lucena (PMDB); e o ex-governador Lúcio Alcântara (PR).

Ao lembrar o ingresso dos Ferreira Gomes no PSB, Roberto Pessoa disse que se tratou de um momento “triste” na história do partido. Sobre a possível saída dos irmãos Ciro, Cid e Ivo do Pros,

o presidente foi ainda mais duro: “Eles são nômades, depredadores. Um partido muito bom para eles é o PP, o ‘partido da propina’”.

Para Sérgio Novais, presidente municipal da sigla, os Ferreira Gomes tentaram destruir o PSB no Estado. Vice-presidente da agremiação no Ceará e irmã de Sérgio, Eliane Novais perguntou: “Quem tem saudade dos Ferreira Gomes aqui? Ninguém”.

Presidente do PR estadual, Lúcio Alcântara alfinetou o grupo ao falar sobre a entrada de Pessoa no PSB: “(A mudança) não foi movida pelo oportunismo vulgar que tem caraterizado muitas migrações partidárias aqui no Estado”.

O senador Eunício Oliveira também engrossou as críticas aos governos do Estado e de Fortaleza citando obras problemáticas, como as do metrô, refinaria e aquário.

Segundo o novo presidente do PSB estadual, os planos da legenda se concentram agora em eleger prefeitos, vereadores e o próximo governador. A intenção é unificar o discurso de oposição e acentuar ainda mais as críticas à situação do Estado.

De acordo com o ex-prefeito de Maracanaú, o PSB vai agora criar comissões regionais para visitar municípios e garantir mais filiações à sigla, sem esvaziar o PR, legenda da qual ele veio.

Um dos convidados para a posse, Renato Casagrande, ex-governador do Espírito Santo e secretário-geral do PSB, ressaltou a necessidade de o partido se apresentar como “alternativa real para o País” nesse momento de crise.

Com informações O Povo Online