19 de março de 2016

"Duas manifestações, dois tratamentos diferentes" por Ricardo Fonseca

Assisti ontem (18/03) pela televisão, a pobre transmissão na televisão brasileira dos protestos a favor da democracia e do mandato de Lula e Dilma. Os jornalistas, meio sem graças, não sabiam nem o que falavam e eram muitas das vezes interrompidos no meio da matéria, sem nem os editores se preocuparem com os parágrafos. Com imagens distorcidas e falhadas, muita das vezes em baixa resolução, mostraram as manifestações Pró- Dilma e Lula, em todo o Brasil, de forma odiosa. Percebi flashes aéreos que mostravam uma multidão de "vermelhos" e de repente, quando finalizavam o enquadramento, mostravam onde tinha menos pessoas. 

Sem dúvida ficou evidente a parcialidade e surpresa dos grandes grupos de comunicação, que apostaram no fracasso das manifestações do dia 18, em detrimento a grande campanha orquestrada por eles para aquela outra do dia 13, contra o petismo e a democracia.

Ontem milhares de pessoas tomaram as ruas do País, contra o golpe que ainda está em curso. O Brasil está divido? Sempre esteve! Mas ontem o que chamou a atenção das pessoas que foram as ruas foi: crianças, jovens, adultos e idosos de todas as classes sociais estavam protestando em favor da democracia. Não tinha somente movimentos sociais, tinha povo, tinha cidadania.

Não ví milionários em camarotes improvisados e nem peruas com poás vermelhos e nem casais fantasiados com babás a tira colo. Mas se tivessem, e daí? Eles também tem todo o direito de se manifestar...

Também não ví comercio de bottons, camisas, bonés e acessórios petistas. Entenderam a diferença de uma manifestação espontânea e da outra que foi planejada até nos últimos detalhes?

O mais engraçado que vi e ouvi nas redes sociais foi: os que estão (estavam) na manifestação do PT estão recebendo R$ 30,00 ( trinta reais) cada um... Que barbaridade midiota! Tenho amigos coxinhas que foram atrás do pão com mortadela e não encontraram nada, só o suor e os milhares de gritos de "Não vai ter golpe".

A situação é tão aviltante e revoltante na rede Globo, que ontem o jornalista William coxinha Bonner, lendo uma nota oficial da presidenta Dilma, trocou o seu nome para presidenta Fernando Henrique Cardoso. Uma afronta a inteligência brasileira. Como se não bastasse também num "flash ao vivo", trocaram o nome da polícia Militar, pelo da Polícia Federal.

A ênfase de legalidade ao grampo vazado pelo Presidente da República de Curitiba – Sérgio Moro ás conversas provadas entre Lula e Dilma, impressiona e causa revolta até em criança de 10 anos de idade. "Papai eles podem ouvir a sua conversa com a mamãe e divulgar", perguntou-me a Gigi minha filha. Respondi simplesmente com a verdade: Poder não pode filha, mas eles fazem assim mesmo não querem nem saber. E completei : Como não acharam crime nenhum contra Lula, querem criminaliza-lo por chamar palavrão no telefone, pode?

Ou seja, quem é que não chama palavrões hoje em dia? Só os hipócritas da mídia e da Justiça!

O mais importante da grandiosa manifestação da democracia realizada ontem (18), foi a resposta aos golpistas e reacionários de todos os meios desse País. O PT, a presidenta Dilma e o Ministro Lula (queiram ou não), tem uma legião de fãs que honraram os 54,5 milhões de votos obtidos legitimamente na ultima eleição presidencial em 2014. Todos eles ainda estão confiantes na luta e na democracia do maior Partido dos Trabalhadores do Brasil.

Viva o Brasil inteligente e democrático, que não tem medo das (in) justiças dos pseudos justiceiros da mídia e do poder judiciário. Chega de justiçaria, não vai ter golpe e nem impeachtment. Viva a verdaderia democracia republicana brasileira.
Ricardo Fonseca é Publicitário, divulgador das causas midiáticas e responsável pelo Blog Propagando

Publicado originalmente no portal Carta Capital