19 de março de 2016

"Não se sabe" por Eduardo Amorim

Plenário da Câmara Municipal de Altaneira (Foto: Júnior Carvalho)
A sessão da Câmara Municipal de ontem (18/03) foi marcada por dois projetos em favor dos servidores municipais e pela volta do vereador Flávio Correia (Solidariedade), agora com mandato efetivo, em virtude da renúncia do ex-vereador Edezyo Jalled (sem partido), feita na última sessão. O ex-vereador acompanhou a sessão juntamente com o Secretário de Finanças Ariovaldo e com o prefeito Delvamberto Soares (PDT).

Flávio atuou como parlamentar durante quase toda essa legislatura, mas na condição de primeiro suplente, em virtude de licenças para assumir secretarias municipais dos vereadores Deza Soares (Solidariedade) e Antonio Leite (PRB) e pela licença para tratar de assuntos particulares do então vereador Edezyo.

Na ordem do dia foram apresentados e votados dois Projetos de Lei, um que reajusta os vencimentos dos servidores da Câmara e outro que reajusta os os vencimentos dos servidores do Executivo. Ambos foram aprovados por unanimidade. O primeiro sem discursão. Já o segundo foi alvo de críticas por parte do vereador Professor Adeilton (PP), que relatou reajuste em percentuais diferenciados para algumas categorias e que algumas delas nem foram beneficiadas. Já Deza Soares lembrou que o referido projeto é retroativo ao mês de janeiro.

Flávio, com a palavra, mencionou a alegria e honra de voltar ao Legislativo, e defendeu o projeto dizendo que o Governo colaborou com a tramitação do projeto.

Um requerimento do Professor Adeilton fechou a ordem do dia, solicitando cópias dos documentos dos veículos locados ao Poder Executivo. Ele justificou, dizendo que recebeu denúncias que alguns carros eram de servidores municipais e do prefeito, algo que é vedado pela lei. Sem discursão o requerimento foi aprovado por unanimidade.

Ao iniciar o Tema Livre a presidente da Casa, Lélia de Oliveira (PCdoB), anunciou que passaria os trabalhos para o Vice-Presidente, Genival Ponciano (PTB), pois iria se ausentar.

Flávio Correia, disse que voltava ao legislativo sem estar movido por vingança ou ódio, e disse que os parlamentares devem agir com justiça e calma. Aproveitou para agradecer aos que foram solidários com ele. O Professor Adeilton disse que o espírito de Flávio ajuda na união que deve haver para a resolução dos problemas que a Câmara enfrenta nos dias de hoje.

Antonio Leite e Zuleide Ferreira (PSDB) usaram seu tempo para solicitar do Poder Executivo o atendimento a requerimentos que já forma aprovados na Câmara.

Deza Soares usou seu tempo para informar que estava com os documentos que justificavam aqueles apresentados pela presidente na última sessão, mas não o faria por que a mesma tinha saído da sessão, mas se comprometeu de o fazer na próxima sessão.

É! Não foi dessa vez que teve mais “Hora da Verdade”. Não se sabe, se a Chefe não lembrou, ou se fugiu da hora que ela mesma anunciou na sessão passada.