10 de março de 2016

No sindicato, secretário "justifica" exclusão de categorias do reajuste anual

Secretário, vereadores e dirigentes sindicais em reunião na sede do Sinsema (Foto: Claudio Gonçalves)
Foi divulgado no portal do Sindicato dos Servidores Municipais de Altaneira (SINSEMA) a informação de uma reunião realizada entre a diretoria da entidade e o secretário de Administração e Finanças para tratar do projeto de lei de reajuste dos servidores apresentada para deliberação da Câmara Municipal. 

Consta ainda a informação de que o secretário Ariovaldo informou que o reajuste dos conselheiros tutelares será discutido com a Procuradoria, visando a inclusão e que a “demais categorias não podem ser contempladas, visto que possuem Piso Próprio e terão seus reajustes submetidos a lei especifica federal”, em referência aos professores, agentes de endemias e saúde, nutricionista e enfermeiros)

Questionado sobre o caso dos assistentes sociais ainda não possuem piso, o secretário teria rebatido que estes pertencem a “Conselhos Regionais que regulamenta seus reajustes e que o município obedecerá o reajuste proposto pelas entidades regulamentadoras das respectivas categorias”.

Informa ainda a nota que em relação aos profissionais do Magistério, o secretário Dhony Nergino enviou mensagem “pedindo mais tempo para analisar os impactos que a folha de pagamento vai sofrer e visualizar possibilidades de concessão de reajuste a essa categoria”.

A nota do SINSEMA não informa se houve discussão em relação ao reajuste dos servidores de nível médio que também foram excluídos do projeto.

Participaram da reunião a presidente da entidade Lucena e os diretores José Evantuil, Belizário e Claudio Gonçalves, o secretário Ariovaldo Teles, a presidente da Câmara, Lélia Oliveira e os vereadores Antonio Leite, Deza Soares e Genival Ponciano.

A nota não informa se a entidade aceitou as explicações, nem tão pouco se irão adotar outras providências para assegurar o reajuste dos servidores municipais excluídos do projeto.