11 de março de 2016

Íntegra do Discurso de renúncia do vereador Edezyo Jalled

Cumprimento a Mesa em nome da secretária Alice Gonçalves;
Em nome da vereadora Zuleide Ferreira cumprimento os vereadores que compõe o bloco de maioria nessa casa;
Em nome do meu amigo vereador Antonio Leite cumprimento os vereadores que fazem o bloco de minoria;
Em nome do prefeito municipal, Delvamberto Soares, saudar a todos que fazem parte do Poder Executivo;  
Saudar também a todos os ouvintes da Rádio Comunitária Altaneira FM;
Agradecer a todos que, espontaneamente, compareceram para prestigiar os trabalhos nesta Casa Legislativa.
Prezados colegas vereadores e vereadoras,
Caríssimos Munícipes,

A maledicência mexe nas feridas, ou seja  nos defeitos morais, torna as ostensivas  e as infecciona. A calúnia morde num membro são, num aspecto da conduta do próximo que é sadio, e instila-lhe veneno mortífero. Caluniar é falar mal dos outros, mas acrescentando à crítica a mentira: “Por palavras contrárias à verdade, prejudica a reputação dos outros e dá ocasião a falsos juízos a respeito deles”.

Toda a calúnia é infâmia e traz, mais vincada ainda que a maledicência, a marca da injustiça.

Se qualquer agressão verbal mostra o que há no coração de quem fala, a calúnia denota uma alma especialmente sórdida: porque a calúnia, é filha da frivolidade irresponsável, que repete falsidades sem apura-las, pelo prazer de mal dizer, ou visa maldosamente destruir, afundar, denegrir, fazer mal. Entram aí na dança, as paixões mais repulsivas, e especialmente o ódio e a inveja vicejam como no seu “habitat” predileto.

Infelizmente, caluniar transformou-se num “esporte social”, que com demasiada frequência se pratica nas conversas privadas e nos meios de comunicação. Há como que uma espécie de compulsão de servir toda hora, de bandeja, reputações dilaceradas, como Salomé “serviu” a Herodes a cabeça de São João Batista; com a mesma futilidade e o mesmo sorriso desavergonhado.

Dizem-se e escrevem-se autênticas aberrações sem fundamento, baseadas muitas vezes numa simples suspeitas, no que “se diz” (isto é, no que alguma pessoa mal intencionada ou irrefletida comentou), no que “se escreve neste país”, ou no que “interessa” afinal combater, com quaisquer armas e a qualquer preço – a começar pela mentira -, por razões ideológicas, políticas ou econômicas. Desta forma, leviana ou maliciosamente, soterram-se pessoas e instituições debaixo de toneladas de lama, e se lhes envenena, com dente de cobra peçonhenta, o sangue limpo da reputação.

Os mais cínicos tentarão justificar-se dizendo que não “afirmaram”, apenas levantaram uma hipótese com base em indícios, ou no “dever de informar”, pois se trata de coisas muito comentadas por aí... e por ai vai….

Fiz essas considerações, cujo conteúdo extraído do Livro Catecismo da Igreja Católica para retratar, especialmente sobre a maldade, calúnia, ódio, inveja e mentira para demonstrar um pouco do que passei quando, atendendo a um chamamento de um grupo para um projeto político, decidi por colocar meu nome à disposição da comunidade de Altaneira, pleiteando assim uma vaga no Legislativo Municipal.

Sabem todos que ao lançar o meu nome, sofri de cara, várias tentativas de desestimulo em minha candidatura, a primeira delas foi uma denúncia por parte da coligação adversária que tentou junto a justiça eleitoral, a cassação do registro de minha candidatura, apenas por ter feito a compra de R$ 20,00 em cartelas, junto a um bingo beneficente nesta cidade. Sendo ao final do processo absolvido por completo.

Esta Casa Legislativa, rejeitou proposta de ampliação de quatro para seis meses, de licença para tratar de assunto de interesse particular, com o proposito único, de prejudicar este parlamentar que vos fala. Essa mesma Casa Legislativa, aprovou proposta e mudou os dias de realizações das sessões plenárias, com o fito único, de agraciar um de seus membros. Faça essas inflexões, para demonstrar que aqui se usa dois pesos e duas medidas. Sem nenhum indicio.

Sem nenhuma prova. E apenas por suspeição. Uma esdrúxula comissão parlamentar de inquérito desta Casa, me classificou como “investigado”. Abro mão de meus sigilos bancários, fiscal e telefônico. Nada temo.

Ao apreciar denuncia em desfavor de vereador do grupo a mim oposto, levantei uma questão de ordem no sentido do arquivamento, sem a sede da vindita, sem a sede da vingança. Porque aprendi desde cedo que política se faz para o bem.

Na manhã do dia 01 de Janeiro de 2013 estava eu tomando posse do cargo de Vereador e prestando o juramento constitucional, logo após fiz o uso da palavra onde deixei claro que não faria do cargo de Vereador uma profissão, igual muitos, e assim estou cumprindo o que disse, busquei durante esse tempo todo focar nos estudos para poder almejar ainda mais sucesso em minha vida.

Não poderia Senhoras e Senhores deixar de registrar aqui um fato histórico que aconteceu no nosso município, o qual teve como ponta pé inicial uma iniciativa desse Vereador, estou falando da I Audiência Sobre a Venda e o Consumo de Drogas no Município de Altaneira, onde nos reunimos e pudemos no decorrer do dia 09 de Abril de 2013 discutir sobre o tema com vários seguimentos de nossa sociedade altaneirense. 

Nem tudo sonhado e trabalhado infatigavelmente foi concretizado. Muita semente lançada ficou em meio aos espinhos, e também em terra desértica, em meio a corações de pedra, e secadas pela inveja. De todos os pecados capitais, este foi o que mais corroeu muito dos melhores propósitos, apesar de ter sido bem sucedido, no principal de todos, porque foquei, priorizei, e não descuidei pois, as vitórias obtidas só foram por meio do diálogo, da amizade, da razoabilidade.

Ao me eleger sempre pedi a Deus que ao sair da Política fosse da mesma forma como entre, com a cabeça erguida e pela porta da frente, baseado nisso sempre busquei trilhar o caminho correto, mesmo a Política tendo um caminho obscuro.

Estou renunciando ao cargo de vereador para realizar um projeto pessoal, por vocação irei integrar a força policial do meu estado.

Deixo hoje a vida politica partidária. Todavia, permanecerei no mesmo sentimento de que politica se faz para o bem com a consciência tranquila,  sempre busquei o diálogo,  de forma a fortalecer o grupo com alianças políticas sadias, que buscassem o  bem comum para a comunidade e não a sede de vingança para retornar ao poder. Jamais no sentido de retroceder. Pois em hipótese alguma voltar ao retrocesso na Política Municipal.

Renuncio nesta tarde de hoje com o coração partido, pois como muitos sabem sou fascinado pela Política Municipal, sempre fiz com muito Amor e Carinho.

Encerro aqui as minhas palavras nesta tarde afirmando que saio do Parlamento Municipal depois de 3 anos, 2 meses e 11 dias não com a sensação do dever comprido (eu seria demagogo ao afirmar isso), pois poderia ter feito muito mais neste período. Aos que vibravam com o ADEUS do vereador Edezyo Jalled na Política, sinto muito informar que não se trata de um adeus e sim de um até breve pois exalto aqui o meu desejo de no futuro não muito distante voltar a fazer parte Política Partidária, certamente com mais experiência e maturidade que com o tempo irei adquirir poderei contribuir de forma mais positiva para uma melhor qualidade de vida dos meus munícipes, voltarei seja pleiteando uma vaga no Legislativo ou até mesmo compondo uma chapa majoritária visando o Executivo, afinal já dizia o Grande Paulo Jorge Lemann que entre sonhar grande e sonhar pequeno dá o mesmo trabalho, então vamos sonhar grande.

Desejo aos caros colegas parlamentares paciência e que possam melhorar sempre as discussões aqui nesta casa, principalmente no tema livre, sucesso aos que irão pleitear novamente uma vaga neste ano.

Sabedoria aos meus conterrâneos para poder escolher os próximos representantes do Poder Legislativo e do Poder Executivo em outubro próximo, priorizando sempre aqueles que estão junto ao povo no dia a dia, aqueles que servem e conhecem de perto as reais dificuldades de nossa população, e não priorizar aqueles que em um passado não muito distante virou as costas para o a comunidade de minha querida e amada Altaneira.

Compartilho em primeira mão com os colegas parlamentares e demais amigos que ontem após às 22h recebi o resultado final das últimas duas etapas do Curso de Formação da Polícia Militar, a primeira o resultado da prova objetiva, cuja qual acertei 85%, já a segunda o resultado da Investigação Social, indicado sem ressalvas. Foi uma experiência e tanto!

Quero antes de entregar a Mesa Diretora a comunicação de minha renúncia deixar os meus sinceros e leais agradecimentos:

Agradecer primeiramente à Deus pelas constantes benções que venho recebendo em minha vida;

A Minha Amada Família que sempre esteve ao meu lado em todos momentos, inclusive me fortalecendo para enfrentar os obstáculos encontrados no dia a dia;

Ao prefeito municipal, Delvamberto Soares, pela parceria no decorrer desse período;

Agradecer aos secretários municipais, diretores de Escola, direção do SINSEMA por sempre ser muito bem recebido quando eu os procurava.

Aos colegas parlamentares e em especial aos parceiros do grupo de minoria pelas parcerias e pelos relevantes projetos e requerimentos que aprovados até aqui nesta Legislatura sempre visando o bem comum.

Agradecer a todos os amigos e amigas que contribuíram com nossa vitoriosa campanha, de forma especial aos 346 eleitores que acreditam na minha competência e no meu trabalho, me conduzindo assim ao meu primeiro mandato como Vereador no município de Altaneira para melhor representa-los no Parlamento na terra do lago que fascina.

Muito Obrigado de Coração Altaneira!

Muito Obrigado aos Altaneirenses!

Forte Abraço à Todos!!!