25 de outubro de 2016

Navegantes comentam crítica da professora Mirian Tolovi sobre subsídios dos vereadores

Extrato do Diário Oficial com a publicação da Lei dos subsídios dos agentes políticos de Altaneira 
O texto da professora Mirian Tolovi sobre subsídios dos agentes políticos de Altaneira mereceu apoio de vários navegantes da rede social Facebook, nos últimos dois dias (24 e 25/10). Foram dezenas de curtidas, diversos comentários e vários compartilhamentos do seu texto.

O professor Pedro Rafael Pereira foi um dos primeiros a comentar a postagem, lembrando alertou sobre o fato antes do projeto ser votado e aprovado, mas ninguém deu a mínima importância. “A luta continua, não por birra ou coisa do tipo, mas a luta continua por justiça e salário por mérito” escreveu o professor.

Givanildo Gonçalves também criticou a aprovação do projeto, disse que o povo está fadado a sofrer pelas decisões dos seus representantes! “O aumento de salário do legislativo, assim como do executivo sempre foi uma maneira de trazer benefício próprio. Enquanto os servidores públicos municipais recebem seus 10% de aumento, prefeito e vereadores recebem em torno de 100%”, criticou.

O poeta Thiago Cardozo, candidato pelo PSD a vereador no último pleito, levantou a possibilidade de uma moção popular pode reverter a situação e lembrou que todos os candidatos afirmaram que mantinham suas candidaturas mesmo que o vereador ganhasse igual a um professor do fundamental.

Para Cicero Gomes “o mais impressionante é que a população não se manifestou contrário a esse ato que não nos beneficia em nada, apenas vai gerar mais despesas para os cofres públicos do nosso município”.

Reges Sousa considerou a medida um Absurdo. “Agora é partir pra cima com um projeto de lei de iniciativa popular e fazer igual está acontecendo em outras cidades baixar o salário deles, se acontecer isso vereador em Altaneira vai deixar de ser profissão só vai querer quem realmente quer fazer algo pela cidade” sugeriu.

O Juiz aposentado Dr. José Josival fez as seguintes indagações, assim mesmo em caixa alta: “QUANTOS DIAS POR SEMANA "TRABALHARÃO" OS SENHORES VEREADORES???? QUANTO GANHARÃO DE SALÁRIO E QUANTOS DIAS DA SEMANA TRABALHARÃO OS GARIS DO MUNICÍPIO? ("os que limpam" ) . E OS PROFESSORES MUNICIPAIS (o ser mais importante de qualquer Município) QUANTO RECEBERÃO PELA NOBRE TAREFA DE ENSINAR A LER OS FILHOS DE ALTANEIRA?”

Ciçô Inventor por sua vez lembrou que não é contra nenhum reajuste salarial, mas diz faltou senso crítico e sensibilidade aos parlamentares que desconsiderarem a atual conjuntura politica e econômica que vive nosso País e não pensaram também na particularidade do Estado que vem atravessando um período de cinco anos de seca.

“Esse recurso que onerará em cerca de 30% os cofres públicos. Não sei se estou equivocado, mas, salvo me engano, se a população entrar com um projeto de lei de iniciativa popular e com o abaixo assinado contendo 5% do coeficiente eleitoral pode reverter essa situação”.

Ciçô também propõe como saída apresentação de projeto de iniciativa popular que em sua opinião “colocará em xeque a intenção de cada Legislador, no tocante a sua intensão de trabalho, se primeiro vem o bolso ou a necessidade da população”.

Vários navegantes cobraram a participação dos vereadores e vereadoras no debate, mas até o fechamento desta postagem, nenhum parlamentar havia se manifestado sobre o tema.

A postagem sobre a crítica da professora Mirian Tolovi aparece como a mais visualizada da semana, antes mesmo de completar 12 horas no ar.