27 de fevereiro de 2018

Ciro falou obviedade, mas foi inabilidoso por Érico Firmo

Ciro Gomes (PDT) é um falastrão e isso até o Arco do Triunfo de Sobral sabe. Mas, desta vez, não entendi o porquê de o PT ter ficado tão irritado com uma obviedade dita por ele.

Não é que o PT não vá apoiar alguém de outro partido. A própria sigla tem dito que não apoiará ninguém que não seja Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Por que achar ruim quando ele diz ser “mais fácil um boi voar do que o PT apoiar alguém”?

Ciro tem razão e ele não terá apoio dos petistas, salvo se a sigla estiver completamente sem saída e opção daqui para a campanha.

Algo factível, vide a operação da Polícia Federal contra Jaques Wagner. No mês passado, Fernando Haddad foi indiciado pela Polícia Federal por acusação de caixa dois e aí terminam as alternativas dentro da legenda.

Por esse motivo, a fala de Ciro, arrazoada que seja, é inabilidosa. Sobretudo na saída de encontro com Haddad para discutir os termos de uma aproximação.

Quando ele diz isso, joga por terra o esforço que faz. Ainda é difícil esse boi voar, mas nunca ele foi tão impelido a se aventurar pelos céus. Se não fizer isso, talvez tenha de se estabacar no chão.

Ciro pode ser o grande beneficiário da saída de Lula da disputa. Com o petista no páreo, ele dificilmente seria competitivo. Mas, sem ele, fica aberto caminho para candidato de discurso progressista. Os votos tendem a se fracionar, mas ele tem o maior potencial de ganho.

Afinal, tem base eleitoral no Nordeste, manteve-se aliado ao PT e na oposição a Michel Temer (MDB) o tempo todo. Marina Silva (Rede) é outra que, nas pesquisas, tem potencial para atrair o eleitor petista. Porém, ela tem se movimentado mal. Aparece pouco e quando o faz se desgasta.

Além disso, rompeu com os petistas há muito tempo e aderiu à candidatura de Aécio Neves (PSDB) no segundo turno de 2014. Uma das grandes disputas da próxima eleição deve ser pelo espólio de Lula nas urnas.

Ciro e Marina têm vantagem em relação aos demais e, em princípio, o pedetista parece ter vantagem ao menos retórica em relação à ex-colega de ministério.

O que pode atrapalhar Ciro nessa empreitada é se começar a se estranhar com o PT, justamente cujo eleitorado ele precisa atrair.

Publicado originalmente no portal O Povo Online