19 de fevereiro de 2018

Capitão Wagner deve disputar Governo do Estado

A definição do nome que fará frente ao governador Camilo Santana (PT) nas eleições está cada vez mais próxima. Isso porque o deputado estadual Capitão Wagner (PR) voltou atrás da sua decisão de concorrer à Câmara Federal e pretende, agora, disputar o Governo do Estado. 

Ele se reunirá hoje (19/02) com o senador Tasso Jereissati (PSDB), líder da oposição no Ceará, para discutir o assunto. A benção do tucano é praticamente a única coisa que falta para a definição. 

O impasse acerca da campanha nacional foi o que atrasou o fechamento da questão: enquanto Tasso queria que Wagner apoiasse Geraldo Alckmin (PSDB), governador de São Paulo, à presidência, o deputado defendia um palanque aberto argumentando que os partidos do bloco têm mais de um candidato ao cargo.

Para o Capitão Wagner, no entanto, que empecilho já estaria sendo resolvido. Em grande reunião da oposição na última quinta-feira (15/02) todos teriam concordado com o palanque aberto. 

“Minha prioridade será a questão local. Ficou definido que todos os partidos que ficarem com a gente terão a liberdade para apoiar os seus candidatos (à presidência)”, disse Wagner.

De acordo com ele, a mudança de planos foi motivada pelos inúmeros pedidos que tem recebido, por parte de eleitores e de familiares, sobretudo por causa da situação da segurança pública no Estado.

“Eu fiz uma autocrítica e vi que era um dos críticos mais fortes da gestão (do Camilo), e eu não queria ficar como covarde, como frouxo, ao não me candidatar para resolver os problemas do Estado”. disse o Capitão.

Para o vice-prefeito de Maracanaú Roberto Pessoa (PR), o nome de Wagner já é certo. Ele avalia que a postura de Tasso de já ter defendido o nome de Wagner e de tê-lo convidado às últimas reuniões mesmo após “essa discussãozinha” demonstram isso.

Segundo ele, lançamento oficial da pré-candidatura acontecerá no dia 8 de março, em grande evento em Barbalha.

Os tucanos falam sobre o assunto com mais cuidado. De acordo com o presidente estadual do partido, Francini Guedes, nada foi decidido.

“O que foi discutido é que vemos que ele tem boa aceitação popular, mas não significa que está aceito. Haverá uma pesquisa”, disse.

Ontem, Wagner se reuniu com Roberto Pessoa e com o presidente estadual do PR, Lúcio Alcântara. No encontro, ele confirmou que pretende se candidatar e demonstrou “disposição para continuar no PR”, afirmou Lúcio. Wagner pretendia migrar para o Prós em março, quando a janela partidária abre.

O deputado afirmou que isso ainda não está fechado, mas que na próxima quarta-feira (21/02) vai a Brasília conversar com o presidente nacional da sigla para discutir a questão. 

Com informações portal O Povo Online