20 de fevereiro de 2018

Governo e oposição articulam-se de olho nas eleições

Camilo e Eunício cumpriram agenda juntos na noite de ontem em Juazeiro do Norte (Foto: Farias Jr)
O dia da chegada da força-tarefa da Polícia Federal e da Força Nacional ao Ceará para reforçar a segurança foi também marcado por intensas articulações políticas do Governo do Estado e da oposição com vistas para as eleições deste ano. De manhã, o deputado estadual Capitão Wagner (PR) reuniu-se com o senador Tasso Jereissati (PSDB) para discutir sua pré-candidatura ao Palácio da Abolição; à noite o governador Camilo Santana (PT) participou de evento ao lado do senador Eunício Oliveira (MDB) em Juazeiro do Norte, onde eles trocaram afagos.

A reunião fechada entre Tasso e Wagner, que ocorreu por volta do meio-dia, foi mais uma etapa da articulação da oposição para, finalmente, definir quem disputará a vaga do Executivo estadual com Camilo. Nenhum dos dois quis comentar o encontro. Fontes próximas a ambos limitaram-se a dizer que “foi uma conversa muito boa”.

O presidente estadual do PSDB Francini Guedes afirmou que nada ainda está “fechado oficialmente”, porque a sigla pretende esperar pelo resultado de pesquisa qualitativa e quantitativa que deve ficar pronta no fim da próxima semana.

Em conversas com aliados mais próximos, Wagner já se apresenta como pré-candidato. O POVO apurou que ele já deu permissão para que apoiadores divulgassem seu nome e o chamassem de “meu governador” em eventos políticos. O vereador Soldado Noélio (PR) já publicou um vídeo no seu Facebook em que confirma a candidatura.

O assunto da discussão entre Tasso e Wagner provavelmente foi a possibilidade de um palanque nacional aberto, em que o deputado não teria a obrigação de apoiar o governador de São Paulo Geraldo Alckmin (PSDB) à presidência da República. Este tem sido o impasse, desde o início, entre ambos, que tem dado sinais de que está sendo resolvido.

Pouco tempo antes do almoço com Tasso, em entrevista à Rádio Campo Maior AM, Wagner lembrou que “o grande empecilho” já estava sendo resolvido. “Houve uma abertura (na reunião do dia 15) para que esse palanque pudesse ser aberto. Estou para entrar numa reunião com o Tasso para a gente esclarecer isso, deixar tudo acertado”, disse.

Em Juazeiro do Norte, o assunto da segurança pautou as entrevistas com Camilo e Eunício apesar de se tratar de um evento de assinatura da Ordem de Serviço para obra de reforço do pátio de aeronaves do Aeroporto Orlando Bezerra de Menezes. O evento contou a participação do ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Maurício Quintella, o prefeito de Juazeiro, José Arnon Bezerra (PTB), o deputado estadual Danniel Oliveira (MDB) e a deputada federal Gorete Pereira (PR).

No evento, Eunício e Camilo voltaram a trocar afagos, sinalizando que “parceria institucional” deve transformar-se em aliança política nas eleições deste ano. A aproximação de ambos iniciou-se no ano passado e tem se consolidado com eventos e reuniões constantes.Nas suas falas, Eunício abriu espaço para destacar a decisão de Camilo de ter buscado ajuda do Governo Federal em Brasília. O senador também voltou a falar da “parceria institucional” entre ambos.

 “O governador Camilo Santana e eu temos feito uma parceria dos interesses da população. Se ela, do ponto de vista da proximidade da eleição, virar uma parceria política, não há nenhum tipo de problema desde que não seja apenas para reeleger o governador Camilo Santana e reeleger o senador Eunício Oliveira”, disse.

Camilo, por sua vez, continua sem falar sobre as eleições, mas não poupou elogios ao ex-adversário. “Agradeço aqui muito ao senador Eunício Oliveira pela parceria que nós temos tido pelo povo do Ceará, encontrei nele as portas abertas, ele que é presidente do Congresso Nacional, cearense, que tem colocado todo o seu mandato, sua relação com o Governo Federal em benefício do povo cearense”, afirmou.

Com informações portal O Povo Online