9 de janeiro de 2019

Nome de Sarto se fortalece para a disputa pela presidência da AL-CE


O nome do deputado estadual José Sarto (PDT) tem se fortalecido na disputa interna travada por parlamentares da sigla pela presidência da Assembleia Legislativa do Ceará (AL-CE). 

Antes tido como "carta fora do baralho" por causa da eleição do seu aliado Antônio Henrique (PDT) para o comando da Câmara Municipal de Fortaleza, Sarto agora já é visto por alguns deputados como o candidato dos Ferreira Gomes.

Ainda não há, porém, uma definição. Oficialmente, a distribuição dos cargos da Mesa Diretora da AL-CE só deve ser resolvida no fim deste mês, a poucos dias da eleição, marcada para 1° de fevereiro, data da posse da nova legislatura.

Quem tem comandado pessoalmente esse processo de articulação é o atual presidente da Casa Zezinho Albuquerque (PDT), que desistiu da candidatura ao cargo após ser indicado pelo governador Camilo Santana (PT) para ser o titular da Secretaria das Cidades. O deputado ocupa posição de confiança do senador eleito Cid Gomes e de seu irmão Ciro (ambos do PDT) e, inclusive, adiou a posse na pasta para presidir sessão da eleição em fevereiro.

Na semana passada, ele realizou um almoço com deputados para tratar do assunto. O POVO apurou que a impressão de alguns dos presentes foi de que Sarto já era o nome defendido para a presidência, ao menos pelos Ferreira Gomes. Em sentido contrário e fazendo campanha de forma mais discreta, o atual líder de Camilo na Casa, Evandro Leitão (PDT), seria o candidato do governador.

O pedetista Osmar Baquit esteve no encontro marcado por Zezinho. "Na minha opinião pessoal, pelo que estou ouvindo, as informações que eu tenho é de que o PDT orientou que o candidato fosse o Sarto", disse. Baquit minimiza eleição de Antônio Henrique para a presidência da Câmara. "Ele é aliado do Sarto, mas está lá porque tem boa relação com o prefeito Roberto Cláudio".

Quem também atesta fortalecimento de Sarto é o pedetista Sérgio Aguiar. Ele afirmou que o deputado tem se reunido com colegas. "A novidade que se tem é de que o Sarto está se apresentando como postulante, já tive até reunião com ele, mas não há nada de oficial ainda", explicou.

Aguiar acredita numa "possibilidade de polarização entre Evandro e Sarto", mas aposta que tudo será resolvido internamente, sem disputa aberta, como a que ele mesmo protagonizou dois anos atrás, contra Zezinho, "Vamos sair com um nome consensuado", concluiu.

A expectativa dos deputados é a mesma. Já existe consenso de que o presidente será pedetista, maior partido da Casa, então o que também movimenta os bastidores são as outras posições na Mesa Diretora e nas comissões. O presidente estadual do MDB, deputado Walter Cavalcante, admite que a sua legenda "espera" conseguir tais posições. "Acho que o MDB e o PT, que tiveram as maiores votações depois do PDT, devem ocupar cargos na Mesa, mas tem que dividir para não ter nenhuma briga", disse.

Além de Evandro e Sarto, o nome de Tin Gomes (PDT) também está colocado. Embora as discussões não estejam paradas, crise na segurança pública tem deixado tema em segundo plano, ao menos na agenda do governador. Camilo não se encontra, no mínimo desde a semana passada, com deputados para tratar disso.

Questionado sobre o assunto, Evandro respondeu apenas que "não está acompanhando nada". Já Sarto e Tin não atenderam os telefonemas.

Com informações portal O Povo Online