2 de setembro de 2017

O cearense que ajudou a barrar o decreto de Temer contra reserva

No dia 28 de agosto o advogado e professor universitário Antonio Carlos Fernandes enviou à Justiça Federal da 1ª Região, do computador da sua casa em Fortaleza, Ação Popular para anular o decreto do presidente Michel Temer (PMDB) que extinguia a Reserva Nacional do Cobre e Associados (Renca) da Amazônia. 

Menos de 24 horas depois, o juiz federal Rolando Valcir Spanholo deferiu uma liminar atendendo o pedido.

Essa não é a primeira vez que o nome de Antonio Carlos ficou conhecido nacionalmente. Há dois anos, um vídeo em que ele chama a então presidente Dilma Rousseff (PT) de “linda” viralizou. 

“Nós temos a mesma idade, presidenta, é uma pena que nós não nos encontramos na juventude”, disse durante um evento em Fortaleza.

Em entrevista ao jornal O POVO, o cearense de 67 anos comemora o resultado da Ação Popular de sua autoria e destaca a importância desse instrumento legal que o permitiu enfrentar e vencer, ao menos temporariamente, o presidente da República.


Com informações Agência Brasil