15 de março de 2014

Arraiá do Furdunço pode encerrar suas atividades por falta de apoio e motivação

Professor Wlberlandio Oliveira em um dos últimos ensaios do grupo (Foto: Francisco Adeilton)
O vereador Professor Adeilton postou no seu Blog, na tarde de ontem (14/03) que “ARRAIÁ DO FURDUNÇO NÃO SE APRESENTARÁ ESSE ANO NOS FETIVAIS JUNINOS” com título da postagem em caixa alta. O parlamentar postou que foi informado por jovens dançantes do Grupo Arraiá do Furdunço, que não haveria mais ensaios e consequentemente o Arraiá do Furdunço não se apresentará e nem participará dos Festivais Juninos deste ano. 

A postagem cita que o professor Wlberlândio Oliveira tentava organizar o grupo, selecionando dançarinos, criando de temas e cenários para apresentações, inclusive com o retorno de alguns veteranos e que o tema escolhido para ser trabalhado esse ano foi “Morte e Vida Severina”, obra de João Cabral de Melo Neto.

Segundo o vereador alguns relataram que havia desmotivação do grupo em virtude da falta de bons resultados nos festivais que participou, dificuldades em angariar os recursos, falta de pagamento de uma ajuda de custo para o organizador e falta de apoio da Secretaria Municipal de Cultura, dentre outros.

Adeilton lembra que o “Arraiá do Furdunço desde 2009 se tornou um dos motivos de muito orgulho para todos nós altaneirenses. Pois nesse ano, foi eleita a MELHOR do Ceará e a segunda do Brasil, conseguiu tal feito se apresentando no FESTIVAL ESTADUAL em Fortaleza – CE, no Centro de Arte e Cultura Dragão do Mar. Tendo, ainda, conquistado diversos Festivais Ceará a fora”.

O parlamentar cita ainda que em 2009 e 2010, os jovens integrantes do Grupo recebiam incentivo financeiro no valor de R$ 70,00, além de transporte, alimentação e hospedagem, tudo ofertado pelo Governo Municipal e que em 2011, o Furdunço não recebeu apoio do Governo Municipal e sobreviveu a custas de patrocínios dos prefeitos vizinhos.

“Ficamos entristecidos e preocupados com o rumo que nossa cultura vem tomando em Altaneira. Esses dias, denunciamos a SITUAÇÃO PRECÁRIA em que se encontra a Banda Música Municipal Padre David Moreira, agora o Furdunço interrompe e não se apresentará esse ano, e apontam um dos principais motivos, a falta de reconhecimento, investimento e envolvimento da administração municipal. O QUE ACONTECE COM A CULTURA ALTANEIRENSE?” indaga o parlamentar.

A postagem mereceu dezenas comentários na rede social Facebook, a grande maioria lamentando a situação em que se encontra o grupo.

“Triste essa situação. Esse fato não é uma particularidade somente de Altaneira e SIM de várias quadrilhas de nossa região. Mais é importante ressaltar que essa foi uma decisão do grupo e não da Administração Municipal. É triste, se pudesse estaria representando o nosso município como já fiz por 6 Anos” comentou o vereador Edezyo Jalled.

Para o vereador Professor Adeilton a administração municipal é a principal culpada pelo o que vem ocorrendo com o Furdunço nos últimos anos. “De 2011 pra cá, deixou de apoiar e dá o incentivo necessário aos nossos jovens furdunceiros. Sem incentivo, sem o apoio devido e o sofrimento que os mesmos passaram nos últimos anos levaram a desmotivação e muitos pais não permitiram que seus filhos participassem, sem recursos é inviável fazer arraiá brilhar” comentou.

Ricardo Sousa lá de São Paulo também comentou a postagem e acredita que faltou apoio do Município. “... acredito que esses jovens não fazem parte de um grupo particular, eles acreditam que representam o município. O problema é se representa o municio no quesito cultura deveriam ser melhor assistidos. Outro lance em correr atrás de outros "meios" é que nem nisso foram orientados. Se falta recursos é uma coisa. Mas na minha ignorância acredito que o município recebe uma verba pra investir na cultura. Agora pergunto? Que cultura? O fundunço na minha opinião é patrimônio cultural de altaneira sim. Lamentável ver um grupo de glorias indo pro buraco. Que venha o estádio de futebol a grande arena do pão e circo” desabafou Ricardo.
há 8 horas · Curtir · 2

O professor Jose Evantuil lembrou que nos anos que as prefeituras gastam no carnaval e ninguém repreende, em junho aparece resultados de investimentos culturais. “Por conta da calamidade decretada e a previa recomendação de cautela aos prefeitos com gastos, feita pelo TCU acho que tem influenciado essa "entrega as favas" do grupo” comentou.

O jovem Ihago Alencar, ex-integrante do grupo disse que concordo que deve existir o pagamento ao puxador e uma ajuda de custo para os dançarinos, mas essa ajuda de custo não existia no seu tempo (até 2009) e nem por isso deixaram de ser campeões do Ceará Junino em 2009. “... pra mim essa desculpa não é válida. A alimentação realmente era paga pelo governo municipal, a hospedagem apenas quando íamos à capital. De fato a atenção dada ao Furdunço, infelizmente, mudou consideravelmente” criticou.

Ihago disse que é triste ver o Furdunço "se aquietando" e anotou que o Furdunço foi considerada a 2ª do Brasil, mas na verdade ficaram na 7ª colocação no festival nacional, devido a um desconto na pontuação por ultrapassarmos o tempo regulamentar.

A vereadora Zuleide de Oliveira também registrou sua tristeza com a situação. “O furdunço sempre foi motivo de orgulho pra nossa Altaneira... O pior é sei que ainda terei muitos outros motivos para ficar triste com essa falta de respeito com as boas ações que sempre elevaram nossa Altaneira. Quando algumas alunas me contaram nem acreditei.. Mas fazer o quê. Acredito que diante do exposto não haverá também Festival de Quadrilhas...Consequentemente perderá os recursos para o tal Festival” comentou a vereadora.


Até fechamento desta postagem não registramos nenhuma nota da Secretaria Municipal de Cultura, do organizador do grupo, nem tão pouco dos atuais integrantes.