29 de março de 2014

Cid e Eunício têm encontro inconclusivo e tensão na base aumenta

Cid e Eunício vistos pela janela do Palácio da Abolição (Foto: Evilázio Bezerra)
A reunião de ontem (28/03) entre Cid Gomes (Pros) e Eunício Oliveira (PMDB) aprofundou ainda mais as tensões na base aliada. O senador informou oficialmente a pretensão do PMDB em disputar o Governo, mas não recebeu sinalização sobre a intenção de Cid. O jornal POVO apurou que, até ontem, não havia no Palácio da Abolição perspectiva de apoiar o peemedebista. Com o PT fincando pé na busca pelo Senado, a síntese do dia de reuniões de ontem foi de impasse ainda maior entre aliados. 

Eunício e Cid se reuniram na tarde de ontem, no Palácio da Abolição. Na conversa, o peemedebista lembrou que apoia o governador desde 2006 e disse que gostaria de contar, em volta, com apoio do Pros neste ano. Segundo o Blog do Eliomar, Cid teria pedido prazo para 4 de abril para definir posição e lamentou “antecipação” da questão eleitoral pelo peemedebista.

Após o encontro, senador e governador saíram por entradas diferentes do Palácio, sob justificativa de que carro de Eunício estaria em lado oposto à saída de Cid. O chefe do Executivo evitou comentar o assunto: “Entendo que como foi o senador que pediu a audiência, seja ele quem deve falar”, acrescentando que foram discutidos temas diversos, “desde inverno até interesses do Estado”.

Sem falar com a imprensa, o peemedebista deixou o Palácio e foi para sua residência, no Meireles. Lá, encontrou-se com pessoas próximas de seu grupo político, entre elas o deputado estadual Danniel Oliveira e o vice-prefeito de Fortaleza, Gaudêncio Lucena.

Nos bastidores, fervilharam rumores de tensionamento entre Cid e Eunício no encontro de ontem. O senador, no entanto, nega. “Foi uma conversa boa, tranquila. Apresentei o desejo do PMDB em disputar, mas não seria decente da minha parte exigir resposta imediata, sabendo que ele possui diversas questões para tratar”, diz.

Questionado sobre qual teria sido, então, resposta do governador sobre a possível indicação, desconversou: “Isso tem que se perguntar para ele”. Eunício negou ainda ter recebido prazo de Cid para uma resposta. “Ninguém dá prazo para senador ou governador”, disse.

Já sobre qual será a posição do PMDB sobre candidatura a partir de agora, Eunício afirmou que a legenda aguardará os prazos eleitorais. “Ainda temos até junho para as convenções. A questão da candidatura do PMDB está nas ruas, é pública”.

Ele ainda disse que o encontro com aliados após a conversa com Cid foi apenas um almoço entre amigos. “Eu fui só me encontrar de novo com essa turma, com quem eu já estava antes. O Danniel (Oliveira) sempre me busca no aeroporto e fica comigo enquanto estou aqui, é como se fosse um irmão”, disse.

Segundo Eunício, após falarem de eleição, ele e Cid teriam falado ainda de entrega de obras no Estado.

Com informações O Povo Online