24 de março de 2014

O uso de bicicletas pode ajudar na mobilidade urbana

Em meio à crescente frota de automóveis nas grandes cidades do país, os ciclistas lutam para conquistar espaço (Foto: Thiara Nogueira)
O Brasil tem hoje cerca de 70 milhões de bicicletas, mas quase não há lugares exclusivos e seguros para se trafegar, especialmente nas metrópoles. Segundo a Secretaria Municipal do Meio Ambiente do Rio em nota afirmou: “A bicicleta passou a fazer parte de um movimento de modernização como um modal de transporte de curtas distâncias, servindo como alimentador das redes de transporte de massa. Por ser 100% não poluente, também contribui para redução dos gases do efeito estufa”.

Apesar dos números, há municípios que têm dado uma atenção maior ao meio de transporte. A cidade campeã em ciclovias é o Rio de Janeiro. Ela é a que tem o maior número de vias: são 361 km, com previsão de chegar aos 450 km até 2016, ano dos Jogos Olímpicos. A prefeitura diz que são feitas 1,5 milhão de viagens de bike todos os dias.

Recente pesquisa mostra que as cidades brasileiras têm 1.118 km exclusivos para bikes, isto é: as ciclovias representam apenas 1% da malha viária das capitais de todo o país.

Somente na cidade de Boa Vista, em Roraima, não tem nenhuma ciclovia implantada ainda. A única via para bicicletas que a cidade já teve, de cerca de 3 km, jamais foi utilizada e acabou abandonada. Hoje, é utilizada por motoristas como estacionamento.

São Paulo, que tem 60 km de ciclovias, conta também com 121 km de ciclofaixas de lazer (que funcionam aos fins de semana e nos feriados) e 58 km de ciclorrotas (que possuem sinalização e pintura no solo), o que faz a cidade possuir a segunda maior malha cicloviária total.

Em Fortaleza, segundo a prefeitura, a secretaria de Infraestrutura elabora o Plano Diretor Cicloviário e faz um ''estudo amplo que irá diagnosticar os locais mais adequados para a implantação de espaços exclusivos para circulação de bicicletas, priorizando ''o meio de transporte não motorizado'' na cidade.

Um grupo de ciclistas de Fortaleza, liderado pelo empresário Paulo Angelim recentemente fez manifestações para reivindicar mais ciclofaixas na cidade e um plano diretor cicloviário.

Com informações O Povo Online