25 de março de 2014

130 anos da abolição da escravatura no Ceará

Charge do Clayton que ilustra as páginas do Jornal O Povo na edição de hoje
O dia 25 de março marca um momento monumental na história do Ceará: a abolição da escravatura no Estado. Esta é definitivamente uma data importante na historia dos direitos humanos no Brasil, porque o Ceará foi o primeiro estado a acabar com a escravatura no país, em 1884. Logo após este momento, outros estados como a Amazônia e o Rio Grande do Sul também aboliram os escravos e, finalmente, a escravatura foi extinta em todo o país, em 1888.

O reconhecimento da data de abolição da escravatura é importante, porém, devemos ser claros sobre seus reflexos. Em outras palavras, o fim da escravatura racial não trouxe nenhuma transformação real na sociedade. A elite abolicionista do Ceará, que veio principalmente da classe de comerciantes, acabou com a escravatura, principalmente por a verem como um empecilho ao projeto de modernidade. Países industrializados, tais como a Inglaterra e os Estados Unidos, já haviam acabado com a escravatura e o Brasil foi o último país do hemisfério sul a acabar com este sistema socioeconômico vergonhoso.

Entretanto, a elite que suportou a abolição no Ceará, nada fez após a escravatura para incluir os antigos escravos e outros afrodescendentes livres na sociedade. A vasta maioridade não podia votar, pois não possuía propriedades, o que era um requerimento para se ter o direito ao voto durante o período da Monarquia.

A nova constituição, durante a velha republica, manteve esta ordem, pois a maioria da população não sabia ler, nem tinha acesso a educação. A vasta maioria dos escravos libertos continuaram na mesma classe social de antes, trabalhando como domésticos e em pequenos trabalhos mal remunerados.

Na realidade, as mudanças significativas para os afrodescendentes no Brasil ocorreram somente nos últimos 20 anos, nos governos de Cardoso e Lula. Pela primeira vez foram incluídos no sistema de educação superior, os níveis de extrema pobreza foram aliviados e puderam alcançar a classe média em níveis recordes.

Não obstante, muitos desafios permanecem para os afrodescendentes do Ceará, que continuam de forma desproporcional nos níveis socioeconômicos mais baixos.

Todos os cidadãos brasileiros merecem o acesso a educação de qualidade, moradia, transporte publico de qualidade, salários e empregos dignos. Quando estas coisas forem atingidas para as massas, então teremos alcançado a conquista da abolição de forma significativa.

Com informações O Povo Online