10 de abril de 2014

Postura de Cid agrada Domingos e reduz tensão

A declaração do governador Cid Gomes (Pros) de que há nos bastidores pessoas interessados em azedar sua relação com Domingos Filho (Pros) agradou ao vice-chefe do Executivo e, mais que isso, teria afastado dele o temor de uma possível retaliação por parte do Governo. 

Conforme o jornal O POVO publicou ontem (09/04) com exclusividade, Cid disse que “estão querendo fazer intriga” com Domingos, e que este não pode ser considerado carta fora do baralho do cenário pré-eleitoral. 

O governador não quis revelar os autores do jogo de intrigas, mas algumas lideranças disseram que se trata do já conhecido “fogo amigo”. “É coisa de quem tem interesse de pleitear a posição de candidato ao governo dentro da aliança. À medida que pode tirar o Domingos da jogada, certamente faz. O Domingos participa do Governo, tem papel de articulador politico... E aí é cada um querendo ocupar mais espaço, se sentir mais integrante nessa participação”, apostou o deputado estadual Sérgio Aguiar (Pros).

Há relatos de que, em reunião do partido no último dia 2, um dos concorrentes teria apontado abertamente que o vice não foi leal a Cid. Isso porque, antes, Domingos já havia argumentado que não abriria mão de assumir o Palácio da Abolição caso o governador viesse a renunciar – o contrário do que defendiam integrantes da sigla.

Segundo a fonte, por causa dessa posição, Domingos ainda temeria algum tipo de represália por parte do Governo, mas teria se tranquilizado após Cid ter feito o “afago político” de defendê-lo. “Ele (Domingos) reagiu bem. Acho que o governador está fazendo o papel dele. Mas será que não falou só da boca para fora?”, questionou.

Ainda que não se consolide como o favorito de Cid para a sucessão, o vice-governador deve requerer atenção nas negociações do pleito. Com raízes políticas no município de Tauá, Domingos detém boa parte dos votos do Sertão dos Inhamuns, a oeste do Estado, além de ter articulações com prefeitos de outras regiões. Da última vez em que disputou cargo de deputado estadual, arregimentou 66 mil votos – capital político que interessa a Cid, sobretudo no contexto de uma eleição acirrada.


Com informações O Povo Online