11 de abril de 2014

Nem leitura de mentes anteciparia sucessão, diz Cid

Apesar da intenção de Eunício Oliveira (PMDB) em fechar posição sobre sua candidatura até o final de abril, o governador Cid Gomes reforçou ontem que não deve antecipar definições até o prazo estipulado pela legislação eleitoral.

“Se Deus lhe desse o dom de entrar na minha consciência agora, você entraria e não identificaria que há uma decisão. Acho que isso deve ser pensado mais na frente e condicionado a uma discussão mais profunda do Ceará”, disse Cid na manhã de ontem, durante evento de lançamento do programa Pacto pela Vida. 

O governador disse ainda que “não consegue” pensar em nomes no presente momento, destacando que construção de chapa ocorrerá a partir de discussão com aliados. “As pessoas me elegeram para governar, e não para ficar falando em candidatura. A lei dá etapa para se falar, então por que antecipar?”, disse.

Também presente no encontro, o ex-ministro Leônidas Cristino (Pros), um dos pré-candidatos do Pros ao governo, reforçou também que não existe definição sobre a sucessão e destacou que nenhum nome está excluído do processo - nem mesmo o PMDB de Eunício Oliveira.

“Nós não excluímos ninguém, vamos todos sentar na mesa e, depois dessa conversa liderada pelo governador, vamos decidir qual o nome que deve ser governador, e fechar chapas para deputados. As pessoas se preocupam muito com a chapa majoritária, mas muitos partidos tem interesse maior na chapa proporcional”, diz.

Mesmo sem ocupar cargo público atualmente, Leônidas acompanhou Cid no evento de hoje, se sentando ao lado do governador durante a solenidade.

Com informações O Povo Online