6 de dezembro de 2014

Genecias Noronha se opõe à volta da CPMF e diz que articulação deve encontrar resistência no Congresso

“Os brasileiros já pagam impostos demais. Não aguentamos mais um imposto.” 

A afirmação é do Presidente do Solidariedade-Ceará, Deputado Federal Genecias Noronha, sobre a articulação, de um grupo de governadores petistas recém-eleitos, para a recriação da CPMF (Contribuição Provisória sobre a Movimentação Financeira). 

Para o parlamentar, a possível volta do extinto tributo, que era cobrado, automaticamente, a cada transação bancária, deve encontrar forte resistência no Congresso, pois anulará uma conquista da população. Ele lembra que a sociedade posicionou-se e lutou ativamente contra a prorrogação do imposto, que foi rejeitada pelo Senado em dezembro de 2007.

Encampada pelo Governador eleito do Ceará, Camilo Santana, a proposta voltou à pauta política e econômica do País, durante encontro do Partido dos Trabalhadores em Fortaleza, no final de novembro, ocasião em que foi apresentada à presidente Dilma Rousseff, com o objetivo de ampliar os recursos para a Saúde. A ideia também será levada ao Encontro de Governadores Eleitos do Nordeste, na próxima terça-feira (09/12), em João Pessoa (PB).

Para o Deputado Genecias Noronha, a criação de mais um imposto, pesando no orçamento da população, não é solução nem para a Saúde, nem para a Economia do País, cujo momento é de cautela diante dos desafios que serão enfrentados pela nova equipe econômica nomeada recentemente.

Ao destacar que os brasileiros já pagaram, ao longo deste ano, mais de R$ 1,5 trilhão em impostos federais, estaduais e municipais, de acordo com o Impostômetro, da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), o parlamentar defende uma gestão eficiente para os recursos arrecadados, com rigoroso controle de desperdícios.

Com informações Portal Solidariedade Ceará