31 de dezembro de 2014

O legado de Lélia na presidência da Câmara Municipal de Altaneira

Uma enquete no Grupo “A Política de Altaneira” nada rede social Facebook buscava opinião dos navegantes sobre o legado deixado pela presidente Lélia de Oliveira (PCdoB) no seu primeiro mandato como presidente da Câmara Municipal de Altaneira.

Assim como a maioria dos navegantes, para o blogueiro Antonio Junior o legado deixado pela presidente Lélia foi o desrespeito ao Regimento Interno da Casa e a Lei Orgânica.

Já para o vereador Professor Adeilton o maior legado da presidente foi “a coragem que teve em enfrentar o Prefeito e seu grupo situacionista, sabendo que ficaria exposta a sofrer o que nós da oposição passamos, que é uma perseguição medíocre e com imensos exageros” postou o parlamentar.

As vereadoras Alice Gonçalves e Zuleide de Oliveira seguiram o mesmo discurso do líder da bancada da oposição. Zuleide cita a “a sanção de meus projetos lei que estão engavetados”, “prestações de contas em dias e a quitação de muitas dívidas deixadas por alguns ex presidentes” complementa dizendo que “o mais importante soube respeitar seus colegas Vereadores sem distinção apesar de ser muito engalfinhada pelos colegas da base do Prefeito, esses sim desrespeitaram o Regimento Interno da Casa”.

Para Junior Ponciano o legado deixado pela presidente é “coragem e palavra”.

Por sua vez o vereador licenciado Deza Soares (Solidariedade) lembrou a traição da presidente ao grupo que a elegeu e a quebra de compromisso firmado, daí ser naturais as críticas dirigidas a vereadora comunista.

“...não é nenhum pouco natural e nem admissível é que uma pessoa que sempre foi taxada de BURRA conforme relatou Antonio Junior, agora porque satisfez a vontade da oposição, tenha se tornado competente inclusive para presidir o legislativo” escreveu o vereador.

Concluindo o debate sem citar nenhum legado seu filho Erivaldo comentou “Se ela não fosse merecedora desse cargo não estaria na presidência mais uma vez”.

Os vereadores Antonio Leite (Pros) e Edezyo Jalled (Solidariedade), os mais críticos da presidente após a reeleição da mesma não opinaram na enquete.