26 de dezembro de 2014

Indefinição federal emperra secretariado a 6 dias da posse de Camilo

A seis dias de assumir a cadeira de governador do Ceará, Camilo Santana (PT) não fechou sua equipe e nem sequer confirmou data para anunciá-la.

O petista vinha aguardando a divulgação da lista ministerial da presidente Dilma Rousseff (PT) para resolver a questão no Estado. Parte do ministério foi definida na última terça-feira (23/12), mas um dos cargos federais cruciais para a costura política no Ceará não foi preenchido. 

De acordo com fonte ligada a Camilo, a presidência do Banco do Nordeste (BNB) é uma das pendências que impedem o futuro governador de fechar o secretariado. O grupo governista quer emplacar o candidato derrotado ao Senado Mauro Filho (Pros) na chefia do Banco, que possivelmente será entregue ao PP. Companheiro de chapa do petista na eleição deste ano, Mauro está sem mandato a partir de 2015, e quer cargo com capilaridade política. Se não federal, no Estado.

Dilma viajou para a Bahia, onde descansará por quatro dias, mas deixou equipe liderada pelo ministro Aloizio Mercadante responsável por encaminhar a definição dos cargos. A chefia do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs) e da Companhia Docas também entram nas contas de Camilo para a composição do secretariado. O problema é que há chances de Dilma terminar 2014 sem ter decidido o rumo dessas vagas. Há mais de 20 cargos do primeiro escalão ainda a ser preenchidos.

A expectativa de aliados ouvidos pelo jornal O POVO é de que a situação possa ser sanada até amanhã. Camilo deverá conceder entrevista coletiva para anunciar todos os nomes de uma só vez. Apesar do que vinha sendo dito nos bastidores, o alinhamento entre o secretariado e o ministério de Dilma não será regra, mas poderá ocorrer em pastas específicas como Educação e Trabalho e Desenvolvimento Social.

Vários nomes ganham força no balcão de apostas. Com a recusa do cardiologista Carlos Roberto Martins (Cabeto) para a Saúde, o deputado estadual José Sarto (Pros) tem sido cotado. Para o Esporte, o deputado estadual eleito David Durand (PRB), do mesmo partido do futuro ministro da área, George Hilton, tem sido ventilado.

O secretário da Segurança Pública ainda estava para ser resolvido. Mauro Filho, caso não seja indicado ao BNB, deverá ser nome certo na área de planejamento do Estado. Na Secretaria do Trabalho e Desenvolvimento Social, a tendência é de manutenção do PDT.

Com informações O Povo Online