28 de março de 2017

Março alcança média histórica de chuvas do Ceará

Para a Funceme, o ritmo de chuvas acompanha os dois prognósticos divulgados pelo órgão sobre a quadra chuvosa deste ano. No primeiro, que tratava dos meses de fevereiro, março e abril, a Fundação havia previsto 40% de chances de precipitações dentro da normalidade, para 30% acima e 30% abaixo dela. Já no segundo, que inclui previsões sobre maio, a probabilidade de chuvas dentro da média passou para 43% — 20% acima e 37% abaixo.

Contudo, ainda não é possível afirmar que este ano se configura como pausa na estiagem que chegou a quase esgotar os recursos hídricos cearenses — atualmente os reservatórios estão com 10,2% de água, mas, no dia 1º de janeiro deste ano, se mantinham com 6,3% da capacidade. “É como se estivéssemos na metade de um jogo de futebol”, comparou o meteorologista da Funceme, Raul Fritz.

Segundo ele, as condições oceânicas para a facilitação de chuvas não são as melhores possíveis, mas são minimamente favoráveis para fazer com que o Estado chegue ao fim da quadra em torno da média histórica.

Fritz explicou ainda que as chuvas só estão chegando por causa do estado de neutralização da água do mar, o que favorece precipitações também em regiões como Equador e Peru. “Em relação ao ano passado, a gente tinha um El Niño intenso que costuma atrapalhar as chuvas”, justificou o meteorologista.

A possibilidade de formação de outro El Niño é o que, de acordo com ele, continua a preocupar a Funceme sobre a quadra chuvosa de 2018.

No Monitor de Secas que acompanha a estiagem no Nordeste, vinculado à Agência Nacional das Águas (ANA), o Ceará apresentou no mês de fevereiro melhora significativa em relação a janeiro, conforme consta em mapa elaborado no último dia 14 de março.

“Houve uma significativa redução da área de seca Excepcional, restringindo-se a uma estreita faixa no extremo sul do Ceará. Por outro lado, houve expansão nas áreas das secas Extrema e Grave, além do surgimento de uma área com seca Moderada no noroeste do Estado”, informa o mapeamento.

Mais um açude atingiu capacidade máxima neste fim de semana, no Ceará. O São Pedro Timbaúba, em Miraíma sangrou no último domingo (26/03) .

Além dele, outros quatro açudes monitorados pela Cogerh estão com 100% de volume: Acaraú Mirim (Massapê), Caldeirões (Saboeiro), Valério (Altaneira) e Maranguapinho (Maranguape).

Outros açudes que ainda podem atingir capacidade máxima são: Itaúna (Granja) e Gavião (Pacatuba). Outros 116 reservatórios estão com volumes inferiores a 30%.

Com informações O Povo Online